Senador diz que escondeu dinheiro na cueca para proteger pagamento de funcionários

·1 minuto de leitura
Foto: REUTERS/Adriano Machado
Foto: REUTERS/Adriano Machado

Correndo o risco de perder o mandato, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca na semana passada, alega aos colegas que tentou proteger o pagamento de seus funcionários. A informação é do jornalista Valdo Cruz, em seu blog no portal G1.

Segundo o jornalista, o senador enviou mensagem a colegas dizendo que "nunca tinha sido acordado pela polícia" e que, "num ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo."

Leia também

Senadores pressionam Chico Rodrigues para que ele esclareça a origem do dinheiro, fato que poderia ser um dos únicos a inocentar o parlamentar flagrado em situação constrangedora.

Ainda conforme apuração do jornalista da Globonews, Chico Rodrigues garantiu aos colegas que o dinheiro não era de corrupção e reafirmou "se levassem aquele dinheiro ninguém iria receber naquela semana".

O parlamentar justifica ainda a demora em apresentar sua defesa. Segundo ele, a repercussão imensa do caso o deixou “sem forças” e lamentou ter sido “massacrado” pelo seu silêncio.

Ele pede ainda para que seus colegas não o “condenem previamente” e faz um apelo para um julgamento realizado de “maneira sábia".

Chico Rodrigues, que era vice-líder do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) no Senado, foi alvo de uma operação da Policia Federal que apura desvios de recursos que seriam empregados no combate à pandemia do novo coronavírus, que já vitimou mais de 150 mil pessoas no país.

Diante da repercussão negativa do episódio, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu pelo afastamento do senador por 90 dias. A medida será analisada pela Corte na próxima quarta-feira (21).