Chico César abre o jogo sobre chances de assumir ministério da Cultura de Lula

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 15.03.2022 - O cantor Chico César. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 15.03.2022 - O cantor Chico César. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cotado para assumir o ministério da Cultura no governo Lula, o cantor e compositor Chico César publicou nas redes sociais que preferiria ver outras pessoas à frente da pasta. "Sou mais Juca Ferreira ou Jandira Feghali", escreveu o artista, mencionando outros dois nomes que podem assumir o ministério.

O setor cultural deve voltar a ser prioridade no governo Lula, do PT. Além da recriação do ministério, a transição já deve fazer um levantamento de todos os decretos feitos pelo governo de Jair Bolsonaro, do PL, com possibilidade de revogação. Da mesma forma, deve ser discutida a medida provisória que adiou o prazo de repasses das leis Paulo Gustavo e Aldir Blanc 2.

Com a vitória de Lula no último domingo, logo alguns nomes foram especulados para o ministério da Cultura. César apareceu na lista, por ser um entusiasta dos governos petistas e ter experiência na política. Em 2011, ele se tornou secretário de Cultura da Paraíba.

Nos bastidores, também circulam os nomes da deputada federal Jandira Feghali, do PCdoB, que defendeu uma ajuda emergencial ao setor durante a pandemia, e da cantora Daniela Mercury. Também são cotados para assumir o ministério o ex-ministro dos governos petistas, Juca Ferreira, e Manoel Rangel, diretor-presidente da Ancine entre 2004 e 2017,