Chanel é acusada de apropriação cultural ao vender bumerangue de quase R$ 5 mil

Reprodução/Instagram @jeffreestar

Em sua pré-coleção de Verão 2017, a Chanel causou polêmica com um dos acessórios apresentados. Trata-se de um bumerangue feito de madeira e resina que está sendo vendido pela grife por 1,432 dólares (cerca de R$ 4,4 mil).

O apetrecho foi mostrado na página da maquiadora Jeffree Star e logo seus seguidores travaram uma batalha nos comentários. Tudo porque o bumerangue foi criado por tribos aborígenes da Austrália e os nativos do país se sentiram ofendidos com a “homenagem”, principalmente por conta do valor da peça.

“Resolvi economizar durante três anos para entrar em contato com a minha cultura”, ironizou um internauta. A rapper australiana Kaylah Truth também se manifestou dizendo que “é bom que o bumerangue da Chanel volte mesmo depois de me trazer um canguru e um CEO da grife para o almoço. US$ 2 mil?”.

Em comunicado, a Chanel afirmou que é “extremamente comprometida em respeitar todas as culturas e sente muito que alguns tenham se ofendido”.