Backer terá de bancar tratamentos de pessoas que adoeceram com cerveja contaminada

Washington Alves/Reuters

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Cervejaria terá de bancar tratamentos de consumidores que adoeceram após beberem Belorizontina.

  • Fabricante e familiares participaram de audiência intermediada pelo Ministério Público de Minas Gerais.

Foi realizada nessa quinta-feira (30) uma audiência entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o Procon-MG, representantes da Cervejaria Backer e familiares de consumidores que estão em tratamento de saúde devido ao consumo da cerveja Belorizontina.

Segundo o portal Valor Investe, na audiência, os representantes das vítimas expuseram quais são as necessidades de custeios para o restabelecimento de seus familiares. O representante da empresa disse que a cervejaria iria disponibilizar o que estava sendo pedido. O MP mineiro foi representado pela 14ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte.

Leia também

Nessa mesma reunião, a empresa já agendou os atendimentos individuais dos familiares das vítimas, de modo que, em 72 horas após esse atendimento, a Backer deverá efetivar o custeio de despesas solicitadas ou apresentar negativa fundamentada.

Ficou acordado ainda que a cervejaria fornecerá acompanhamento psicológico para as vítimas e seus familiares, de forma adequada à necessidade de cada um.

Participaram da reunião as promotoras de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte Silvia Altaf e Vanessa Fusco, o coordenador do Procon-MG, promotor de Justiça Amauri Artimos da Matta, e da defensora Pública Ana Luiza Aragão Bracarense.

A promotora de Justiça Silvia Altaf afirmou que a intenção foi a de tentar agilizar a assistência às vítimas. Ela ainda informou que os procedimentos instaurados no MP-MG para apuração do caso continuarão com andamento normal.