Celulite e flacidez: Influenciadora mostra a realidade das fotos de biquíni do Instagram

Danae Mercer mostra nas redes sociais o lado "instagramável" e a realidade do seu próprio corpo
Danae Mercer mostra nas redes sociais o lado "instagramável" e a realidade do seu próprio corpo

Para fazer uma boa foto de biquíni, você tem que empinar o bumbum. Fazer um ângulo com as pernas para não mostrar a celulite. Sugar a barriga e levantar o queixo. Se for de frente para o sol, melhor. Depois, é preciso passar a foto nos milhares de aplicativos que você tem baixados para ajustar a luz, a cor (da foto e da sua pele), tirar aquela manchinha, aquela cicatriz… Enfim, postar uma foto na internet não é um processo espontâneo, pelo contrário: hoje em dia, ele é praticamente todo manipulado e pensado.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

E nada contra as edições de fotos ou o planejamento de conteúdo para as redes sociais. O nosso questionamento, no entanto, fica no quanto as imagens perfeitas passaram a reforçar um padrão de beleza irreal e mexer com a autoestima feminina. Não à toa, a influenciadora gringa Danae Mercer tem mostrado os segredos por trás das fotos perfeitas na rede, mas com um twist: exibindo as suas próprias "imperfeições".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Colocamos a palavra entre aspas porque dificilmente elas são imperfeições, mas traços comuns do corpo de boa parte das mulheres. Estrias, celulite, flacidez… Tudo isso é resultado de uma série de elementos, que vão de genética até gestações e o próprio efeito do tempo.

Leia também

"A celulite é tão comum!", escreveu ela em uma das suas legendas. "Então, use aquele maiô, arrase no biquíni, vá lá fora e mostre a maravilha que você é. E não deixei nenhum pequeno detalhe fazer com que você duvide de si mesma, nem por um segundo".

Entre vídeos, fotos na frente de espelhos e boomerangs, Danae tem mostrado como as poses feitas para as fotos podem enganar, mas que ela, assim como todas as mulheres, não deveria ter medo de mostrar o seu corpo natural na frente das câmeras.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Aliás, o movimento #bodypositivity, que tem percorrido as redes sociais há tempos, tem, justamente, esse intuito: mostrar mulheres com corpos reais como uma forma de incentivar uma visão mais gentil e sem cobranças do corpo feminino.

Nomes como o da modelo Ashley Graham ficaram conhecidos na rede por incentivarem essa discussão online e até por postarem fotos do próprio corpo sem correções por Photoshop.

"Vamos normalizar isso. Vamos compartilhar as partes de nós que são fortes, ousadas e posadas, e as partes de nós que também são mais suaves, cruas e humanas", continua Danae.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Com mais de 400 mil seguidores na rede social, o objetivo da influenciadora é incentivar o amor próprio e mostrar a realidade por trás das fotos super produzidas, de forma a normalizar uma visão mais humana sobre os corpos femininos.