Celso Portiolli fala sobre corrupção ao citar coronavírus: “Que comece o mimimi”

·2 min de leitura
O apresentador não se calou em suas redes sociais (Foto: Reprodução/SBT)
O apresentador não se calou em suas redes sociais (Foto: Reprodução/SBT)

O apresentador Celso Portiolli falou sobre política e corrupção ao questionar a importância do isolamento durante a pandemia do novo coronavírus. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Celso rebateu as críticas ao Chefe do Estado ironizando os governos anteriores.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

“Como está a consciência (se a tiveram) daqueles que desviaram bilhões do nosso país e outros que pegaram bilhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) sabe lá pra quê? Que comece o mimimi. Timeline aberta pra defender seu amado de estimação. Mas não esqueça de responder a principal pergunta”, publicou.

Leia também:

Antes de alfinetar os seguidores que apoiaram outros partidos, como o PT, o apresentador afirmou que as pessoas não estão em casa para não contrair o coronavírus, mas para dar tempo de o governo trabalhar rápido aumentando leitos de hospitais e contratando médicos. “Se isso não for feito logo o esforço do povo será em vão”, opinou.

Em outra postagem, o artista argumentou que outras doenças já mataram mais que o coronavírus. Ele compartilhou uma reportagem que diz que o sarampo matou 142 mil pessoas no mundo em 2018 mesmo tendo vacina. Internautas rebateram dizendo que Celso só pode comparar os números quando tivermos o balanço de mortes por coronavírus em um ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos