Cauã Reymond vive D. Pedro I sem filtro da História: "Com sífilis e impotência sexual"

Cauã Reymond em
Cauã Reymond em "A Viagem de Pedro". Foto: Fabio Braga/Biônica Filmes

Resumo da notícia:

  • Cauã Reymond descontrói imagem de D. Pedro I com lado humano do português

  • Em entrevista ao Yahoo, ator falou sobre a experiência de interpretar o imperador

  • "A Viagem de Pedro" chega aos cinemas no próximo dia 1 de setembro

Mais do que a trajetória de navio de D. Pedro I de volta para a Europa, "A Viagem de Pedro" propõe uma imersão na mente do primeiro imperador do Brasil. Ao viver o protagonista, Cauã Reymond acaba imerso nesse processo e se vê também viajando para dentro de si.

Em entrevista ao Yahoo, o ator reflete sobre o impacto da produção que aborda o comportamento machista do português e como esse mal ainda é muito presente na nossa sociedade.

“A gente desconstrói esse herói que a gente está acostumado a aprender sobre a história dele e a história do Brasil nas salas de aula. Não tem um Pedro herói, tem um Pedro humano com muitos erros. Cheio de fantasmas a sua volta", declara. “A gente fala de um Pedro epilético, com sífilis, sofrendo impotência sexual. A gente discute a masculinidade tóxica, racismo estrutural, a ausência de feminismo”, completa.

O Brasil é um país supermachista. A gente estava falando em uma outra conversa sobre a quantidade de feminicídios que existem no Brasil. Qualquer site tem lá, o cara ciumento matou a namorada. Muitos homens ainda acham que são donos das mulheres”Cauã Reymond

Para entrar na personalidade de D. Pedro I, Cauã mergulhou nos livros. No entanto, a vulnerabilidade de suas emoções não ficaram de lado e a fragilidade exposta do personagem acabou atingindo o ator. "Lidei com um momento superdelicado, perdi minha mãe logo depois das gravações. Então, o filme acabou tendo um outro caráter para mim. Mas fui instrumento do roteiro, da parceria que estabeleci com os meus colegas", conta.

O detalhe é que o filme chega aos cinemas na mesma época em que o coração de D. Pedro I é trazido ao Brasil para celebrar os 200 anos da independência, o que traz questionamentos sobre o que, de fato, mudou em todo esse tempo descolonizados. "Chegando no bicentenário, a gente não sabe se comemora ou não. É um personagem tão contraditório, um Brasil tão contraditório. É um momento da gente repensar muitas coisas", conclui Reymond.

A Viagem de Pedro

Dirigido e escrito por Laís Bodanzky, o filme retrata a intimidade de Dom Pedro I, vivido por Cauã Reymond, logo após deixar de ser imperador do Brasil, em 1831. A bordo do navio inglês Warspite, ele vive uma crise existencial ao relembrar dos erros e acertos em seu comportamento até chegar ao dia em que está voltando para Portugal. "A Viagem de Pedro" chega aos cinemas dia 1 de setembro.

"O filme foi uma grande viagem, porque além de ator eu sou o produtor também. Essa viagem foi conduzida pela nossa diretora e roteirista Laís Bodanzky e um super elenco, porque acho que todas as pessoas vão conduzindo o nosso barco para um lugar em comum”, afirma Cauã ao Yahoo. Confira o trailer: