Caso de Amber Heard e Johnny Depp já tem veredito, que será lido em instantes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***RIO DE JANEIRO, RJ, 24.09.2015 - O ator e guitarrista da banda Hollyhood Vampires Johnny Depp durante o festival Rock in Rio, no Parque Olímpico, na zona oeste da cidade. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
***ARQUIVO***RIO DE JANEIRO, RJ, 24.09.2015 - O ator e guitarrista da banda Hollyhood Vampires Johnny Depp durante o festival Rock in Rio, no Parque Olímpico, na zona oeste da cidade. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O júri que delibera sobre o longo e desgastante processo de difamação que Johnny Depp move contra Amber Heard chegou a uma veredito nesta quarta-feira (1º), que será lido em instantes, às 15h, no horário de Brasília.

O grupo de sete jurados de um tribunal da Virgínia, nos Estados Unidos, formado por cinco homens e duas mulheres, analisou ao longo de sete semanas se a atriz de "Aquaman" usou um artigo de opinião publicado no jornal americano The Washington Post para difamar o astro de "Piratas do Caribe".

Nele, ela dizia que foi vítima de abuso doméstico e sexual, sem mencionar o nome de Depp. Ele, no entanto, decidiu processá-la sob a alegação de que Heard fazia referências claras, em seu texto, ao período em que ambos estiveram casados, entre 2015 e 2016.

Para que Heard seja privilegiada nesse veredito, o júri, que fez uma deliberação por quase 13 horas, precisava reconhecer que Depp cometeu algum abuso contra a atriz uma vez.

"As falsas alegações tiveram um impacto significativo na família do senhor Depp e em sua capacidade de trabalhar na profissão que ama", argumentou o advogado do ator, ao que a defesa da atriz respondeu: "O artigo é sobre uma mudança social pela qual Heard luta". Também afirmou que havia inúmeras evidências comprovando que a atriz foi, sim, vítima de abuso físico, emocional, verbal e psicológico.

Enquanto ele a processa em US$ 50 milhões --cerca de R$ 240 milhões-- por difamação, ela pede, em contrapartida, US$ 100 milhões --ou R$ 480 milhões-- também por difamação, por ter tido seu testemunho desacreditado pela defesa de Depp.

O intérprete do pirata Jack Sparrow já havia perdido uma ação semelhante na Inglaterra, há dois anos, quando processou o tabloide The Sun por ter sido chamado de "espancador de mulher" logo após o início dos rumores de que ele batia em Heard.

Durante o processo que se encerra agora, ambos se acusaram de diversos tipos de abuso, o que gerou atenção da mídia e da internet, que têm acompanhado o caso de perto. Torcidas apaixonadas se formaram em torno deles, com fãs promovendo campanhas de ódio contra um ou outro.

Dúvidas sobre a idoneidade de ambas as partes não devem se encerrar com o veredito desta quarta e, ao que parece, o caso continuará assombrando suas carreiras --vale mencionar que Depp já perdeu o papel de vilão da franquia "Animais Fantásticos" em meio às polêmicas que o transformaram numa estrela em decadência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos