Casas de show emergem como novos focos de transmissão do coronavírus no Japão

Por Chang-Ran Kim e Naomi Tajitsu
Casa de shows Soap Opera Classics Umeda, em Osaka, no Japão

Por Chang-Ran Kim e Naomi Tajitsu

TÓQUIO (Reuters) - Pequenas casas de música ao vivo de Osaka, cidade do oeste do Japão, emergiram como novo foco de transmissão do coronavírus, o que mostra a dificuldade de se conter o surto apesar de as autoridades estarem se concentrando em evitar grandes aglomerações.

O Japão fechou escolas, zoológicos e parques temáticos, e reduziu drasticamente os eventos públicos, desde a irrupção do surto. O torneio anual de sumô da primavera está acontecendo em Osaka sem espectadores, e a emissora pública NHK está transmitindo as lutas em um estádio estranhamente silencioso.

Apesar destas medidas, e de o governo estar estimulando o trabalho à distância, há sinais de que aglomerações menores --como em restaurantes e pequenas casas de show onde pessoas se espremem para ouvir música ao vivo-- estão disseminando o vírus.

Osaka relatou seu primeiro caso de coronavírus no dia 27 de fevereiro. Até domingo, a cidade tinha 55 casos, dos quais 49 estão ligados a quatro casas de show pequenas, disse o governo local.

Muitos dos casos se concentraram em três datas, 15, 16 e 19 de fevereiro, mas uma possível proliferação em aglomerado não foi identificada até o início de março, como mostraram os anúncios diários de Osaka. Muitos dos infectados estão na faixa dos 30 e 40 anos e mostraram pouco ou nenhum sintoma.

Trinta e quatro casos foram ligados a um local em particular, a Soap Opera Classics Umeda, e outros 18 ao Live House Arc. Cerca de 100 pessoas assistiram a cada um dos espetáculos nestas casas.

(Reportagem adicional de Rocky Swift e Yuki Nitta)