Casal evangélico processa governo do Canadá após ter pedido de adoção negado por ser "anti-gay"

Reprodução/Pixabay PublicDomainPictures

Um casal do Canadá está processando o governo do país após ter seu pedido de adoção negado pela justiça. A corte canadense decidiu não conceder o direito de adoção ao casal por conta de suas crenças anti-gays.

Leia mais: Garçom proíbe casal gay de dividir sobremesa para não “estragar o ambiente”

O casal esperava adotar uma ou até três crianças com idades entre 7 e 17 anos. No entanto, o responsável pelo caso advertiu que seus clientes não queriam uma “criança homossexual” devido a seus pontos de vista religiosos. O órgão responsável pela família então decidiu interromper a inscrição do casal por completo por essa visão preconceituosa.

“Ficamos com raiva da injustiça dessa situação. Apesar da nossa estabilidade, nossa bondade, dedicação para ajudar as pessoas, nossa vontade de levar uma criança que precisa de pais e considerá-la nossa para o resto de nossas vidas, estamos sendo discriminados com base em nossas crenças religiosas”, afirmou o casal, que não quis ser identificado.

Leia mais: Antes e depois mostra como sair do armário mudou completamente a vida das pessoas

John Carpey, presidente do Centro de Justiça canadense, disse que “fazer determinações sobre quem é adequado para adoção de acordo com suas crenças religiosas viola o direito da liberdade religiosa e de igualdade, conforme garantido na Carta Canadense de Direitos e Liberdades e na própria Declaração de Direitos Humanos da cidade de Alberta”.

Ele acrescentou ainda que se o casal conseguir contestar a decisão, isso “teria graves consequências para a liberdade de todos os canadenses, sem mencionar as consequências para as muitas crianças que nunca serão adotadas se o governo continuar com essa descriminação”.