Casal é preso em Campinas suspeito de ligação com assalto de Criciúma; prisões sobem para 11

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Police look at equipment suspected of being used to make explosives at the scene of a bank robbery in Criciuma, Brazil, on December 1, 2020. - A group of 30 heavily armed criminals entered a bank in Criciuma, Santa Catarina State, southern Brazil, taking hostages, blocking roads and exchanging gun fire with police for about two hours. (Photo by Guilherme Cordeiro / AFP) / The erroneous byline appearing in the metadata of this photo has been modified in AFP systems in the following manner: [Guilherme Cordeiro] instead of [Guilherme Haun]. Please immediately remove the erroneous mention[s] from all your online services and delete it (them) from your servers. If you have been authorized by AFP to distribute it (them) to third parties, please ensure that the same actions are carried out by them. Failure to promptly comply with these instructions will entail liability on your part for any continued or post notification usage. Therefore we thank you very much for all your attention and prompt action. We are sorry for the inconvenience this notification may cause and remain at your disposal for any further information you may require. (Photo by GUILHERME CORDEIRO/AFP via Getty Images)
Polícia examina equipamentos suspeitos de serem usados ​​para fazer explosivos na cena de um assalto a banco em Criciúma, Brasil, em 1º de dezembro de 2020 (Foto: Guilherme Cordeiro/AFP via Getty Images)

Um homem e uma mulher de Campinas, no interior de São Paulo, foram presos nesta quinta-feira (3) suspeito de participação no assalto a um banco em Criciúma, em Santa Catarina, no início da semana. Agora, sobe para 11 o número de presos por suposto envolvimento no caso.

De acordo com a Polícia, as prisões ocorreram após denúncia anônima e um suspeito ligado ao casal ainda é procurado pelos investigadores. O homem e a mulher presos, de 41 e 36 anos, foram levados para o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em São Paulo.

De acordo com o coronel Rogério Silva, da PM de São Paulo, a mulher encontra teria admitido participação no crime e, segundo o policial, em seu celular foram localizadas mensagens que comprovam o elo com o mega-assalto.

Leia também

Já o terceiro suspeito de Campinas ligado ao crime é irmão da mulher presa nesta quinta. Os investigadores acreditam que o material encontrado na casa dos pais dela, como munições e explosivos, tenha ligação com o irmão.

Além do casal encontrado em Campinas, na quinta-feira (3), dois homens foram encontrados em Gramado, na Serra do RS; um homem encontrado em uma casa na cidade de Três Cachoeiras (RS); 2 homens encontrados em um viaduto da BR-116 em São Leopoldo (RS); 3 homens encontrados entre a divisa de Torres (RS) e Passo de Torres (SC) e uma mulher encontrada em uma casa em São Paulo (SP).

Relembre o caso

Cerca de 30 pessoas encapuzadas causaram terror na cidade ao roubar o cofre de uma agência do Banco do Brasil. Funcionários foram feitos reféns, vias foram bloqueadas e disparos com armas de grosso calibre foram efetuados durante a madrugada.

De acordo com a Polícia Civil, 30 criminosos teriam participado da ação coordenada. Até as 7h da manhã de terça, nenhum suspeito havia sido preso. Um policial militar e um vigilante ficaram feridos.

Para retardar as ações de combate da polícia, os suspeitos já haviam preparados bloqueios em diversos pontos da cidade. Segundo a PM, o grupo incendiou um túnel que dá acesso a cidade, atacou o Batalhão da Polícia e ateou fogo a carros.

Ainda não se sabe a quantidade de dinheiro que foi roubado. Durante a fuga dos criminosos, parte das cédulas roubadas foi abandonada no local.