Carol Dias diz que não voltaria ao 'Pânico': "Ninho de falsidade e machismo"

·2 minuto de leitura
A modelo não tem boas lembranças do programa de humor (Foto: Reprodução/Instagram/@caroldias)
A modelo não tem boas lembranças do programa de humor (Foto: Reprodução/Instagram/@caroldias)

Carol Dias, 32, ficou traumatizada com o programa ‘Pânico’. Neste fim de semana, ela não poupou críticas ao ser questionada sobre a possibilidade de um dia voltar a ser panicat. Tudo começou quando uma seguidora mandou uma pergunta bem direta em seus Stories.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

“O que você acha do programa ‘Pânico’? Quer voltar?”, escreveu a internauta. “Sou bastante sincera. Eu não voltaria até porque o ‘Pânico’ acabou na TV. Eu saí daquele ninho, daquele ego de falsidade de algumas pessoas insuportáveis e também me livrei do machismo”, respondeu Carol.

Leia também:

Em 2019, a ex-panicat processou a Band por assédio moral e sexual nos bastidores do programa. Ao Yahoo!, o irmão dela disse que o prejuízo foi grande: Carol toma remédios até hoje por conta disso.

“A Carol nunca mais foi a mesma. Ela carrega uma tristeza e eu, como irmão, sei disso. Infelizmente, ela não superou e vai ter que lidar com isso para o resto da vida porque as doenças psicológicas funcionam desse jeito, não têm volta”, lamenta André Dias.

Ainda segundo ele, a irmã não saía feliz para trabalhar e além de sofrer com os insultos, presenciava as amigas que atuam no programa passando por situações parecidas, de constante humilhação, o que não é segredo para ninguém da emissora. Tudo isso mexeu com o psicológico da ex-panicat.

A volta por cima

Carol se tornou apresentadora no YouTube e palestrante de grandes eventos. Ela garante que já acumulou mais de R$ 3 milhões com seu trabalho e agora tem a intenção de ajudar o público a não perder dinheiro com investimentos errados, algo que fez quando ganhou seu primeiro milhão.

“Eu tinha uma conta em um banco, mas não tinha conhecimento de onde investir. Coloquei todo o meu dinheiro num lugar só, na previdência privada. Não diversifiquei. Depois, portabilizei para outros fundos gratuitamente. Tem muitos brasileiros que não sabem disso. Se der errado numa aplicação, a outra está ali para segurar. Nesse erro eu perdi dinheiro", explica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos