Carlinhos Mendigo é intimado pela Justiça para responder por crime de homofobia

·3 min de leitura
Carlinhos Silva se tornou conhecido pelo personagem 'Mendigo' no extinto programa televiso 'Pânico na TV' (Foto: Reprodução/ Instagram @carlinhoshumornovo)
Carlinhos Silva se tornou conhecido pelo personagem 'Mendigo' no extinto programa televiso 'Pânico na TV' (Foto: Reprodução/ Instagram @carlinhoshumornovo)

Por: Gabriel Perline

Resumo da notícia

  • Carlinhos Silva foi intimado pela Justiça de São Paulo para esclarecer crimes de homofobia e transfobia;

  • Mendigo fez o comentário ofensivo em 2020;

  • Seu Instagram foi derrubado pelo grupo Facebook

Carlinhos Mendigo foi intimado pela Justiça para prestar esclarecimentos sobre a prática dos crimes de homofobia e transfobia. Somente no mês de outubro, dois oficiais estiveram nas duas casas do humorista, localizadas em bairros nobres de São Paulo, com as cartas dos pedidos de urgência para ele se manifestar e agendar a audiência em que terá que prestar esclarecimentos sobre suas condutas e opiniões emitidas em seus perfis nas redes sociais.

No dia 4 de outubro, o chefe de seção do Judiciário Robson Denis protocolou uma certidão em que cita a localização de três propriedades registradas como endereços de Carlinhos. Duas delas são em São Paulo, uma localizada na Vila Nova Conceição, e outra em Cerqueira César. A terceira casa fica em Rondonópolis, interior do Mato Grosso, onde ele também será intimado.

Leia também:

As cartas foram entregues nos dias 8 e 11 de outubro. Ele teve o prazo de cinco dias úteis para entrar em contato com a 3ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo para marcar a audiência, mas até o momento não há registros sobre seu posicionamento.

O ex-integrante do Pânico despertou a ira da comunidade LGBTQIA+ após publicar um texto ofensivo em seu perfil no Instagram, em julho de 2020, no qual dizia que preferia ser órfão em vez de ser filho de uma pessoa transexual, e ainda classificou como “normais” somente os heterossexuais.

“Prefiro ser também órfão, do que ser criado por um homem operado se passando também por mulher para querer ser mãe. Não existe jamais amor real nisso. Pois se Deus é amor, na sua forma perfeita, o próprio Deus nos deixou escrito a forma correta de senti-lo e dá-lo. Se vocês soubessem como é difícil adotar uma criança no Brasil. Aaaaaah, mas somente héteros e pessoas normais têm essa dificuldade, inclusive os próprios pais biológicos não têm esses direitos perante aos seus filhos. Esse país me dá vergonha”, escreveu Carlinhos em seu perfil.

Por conta desta publicação, o Ministério Público protocolou uma denúncia contra o humorista, afirmando que ele praticou, induziu e incitou a discriminação e o preconceito contra homossexuais e transgêneros.

“Tais afirmações, imbuídas de desprezo e sugerindo que homossexuais e transgêneros são inferiores, não deveriam ter o direito de adotar, não sentem amor verdadeiramente e são semelhantes ao demônio visavam, unicamente, propalar o ódio, incitar a discriminação e induzir ao preconceito e à violação de direitos humanos”, escreveu o promotor de Justiça Fernando Albuquerque Soares de Souza.

“Também corroboram para essa conclusão as afirmações de que pessoas homossexuais e transgêneros têm direitos, privilégios e oportunidades negados aos indivíduos heterossexuais e cisgêneros. A afirmação de que tais direitos, privilégios e oportunidades, supostamente conferidos aos homossexuais e transgêneros, visava incutir rancor nas pessoas heterossexuais e cisgêneros, o que comumente ocorre com as pessoas que se sentem em situação de desvantagem ou de alguma forma preteridas, ou alijadas”, continuou o oficial do Ministério Público.

O episódio também foi motivo de uma ação movida pela Aliança LGBTI+, presidida pelo ativista Agripino Magalhães, que pediu à Justiça uma tutela de urgência para retirar do ar todos os perfis de Carlinhos Mendigo das redes sociais, alegando que ele havia praticado crime de ódio, e que sua permanência nos ambientes digitais poderiam incitar a realização de novos atos de homofobia ou transfobia. Em julho de 2020, ele perdeu seu perfil no Instagram, que contava com quase 600 mil de seguidores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos