Carlinhos Maia diz que não se arrepende de festa durante pandemia

·3 minuto de leitura
O influenciador digital reuniu amigos e famosos em um evento em Penedo (AL) (Foto: Reprodução/Instagram @carlinhosmaiaof)
O influenciador digital reuniu amigos e famosos em um evento em Penedo (AL) (Foto: Reprodução/Instagram @carlinhosmaiaof)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O influenciador digital Carlinhos Maia, 29, disse, em entrevista ao programa Hora do Faro (Record), que não se arrepende de ter feito a festa de Natal na Vila, em plena pandemia de coronavírus, na cidade de Penedo, em Alagoas, que reuniu amigos e famosos, como ex-BBB Pyong Lee e Gabi Martins

Maia se justificou citando que as pessoas se "aglomeraram às tampas" nas eleições municipais e nas festas clandestinas, algumas promovidas por famosos. "Na minha vila já não teve Natal no ano passado. É um povo pobre que precisa dessa visibilidade para poder continuar crescendo e a minha cidade também. Já que as pessoas não vão deixar de ir para as ruas, vamos fazer uma coisa dentro da lei mesmo", disse. 

Leia também

Antes da festa, Maia chegou a dizer que faria tudo seguindo os protocolos e que o motivo da confraternização seria gerar ainda mais visibilidade para o povo da vila. Pelas redes sociais, não foram poucos os vídeos que marcam a aglomeração das pessoas, todas sem máscaras. 

Por meio de alguns vídeos no Instagram, Maia deu a entender que faria testes a em todos os convidados depois da festa para saber se alguém havia contraído o vírus. Até mesmo a atriz e apresentadora Tatá Werneck ironizou o comediante. Pelo Twitter e sem citar nomes, ela colocou seu ponto de vista e reiterou que o momento não é para festas. 

"Vamos ajudar o mundo fazendo a nossa parte. Não é momento para festas. Lição não aprendida é lição repetida. Se não aprendermos com uma pandemia mundial, o que será preciso acontecer para termos responsabilidade coletiva?", publicou a global. "Você ser absolutamente responsável não te protege porque você precisa que todos ao seu redor sejam também. Os hospitais estão lotados. Vamos passar o Ano Novo longe de festas. Não é possível que uma pandemia mundial não nos faça aprender nada", concluiu Tatá. 

Em fotos publicadas em seu Instagram justamente para falar do evento, muita gente criticou Carlinhos Maia. "E o covid? Achou a cura?", perguntou uma seguidora. "Tanta gente morrendo por causa da covid-19 e os famosos curtindo festas com aglomeração. Péssimo exemplo", disse outra. "Todo mundo aplaudindo a aglomeração em plena pandemia", ironizou uma outra. 

POLÊMICA COM A VACINA 

Maia se envolveu em mais uma confusão em janeiro ao afirmar que recebeu um convite para ser um dos primeiros alagoanos a tomar a vacina contra a covid-19 em Alagoas, seu estado natal. O governo estadual, no entanto, nega a informação. "Me convidaram aqui no meu estado para ser um dos primeiros a tomar a vacina", afirmou nas redes sociais. "Não acho justo com quem ficou em casa todo o esse tempo, não aceitei." O suposto convite, no entanto, foi negado pelo Governo de Alagoas. Também nas redes sociais, o executivo estadual disse que o imunizante será aplicado inicialmente em profissionais de saúde que atuam na linha de frente, indígenas, quilombolas e idosos residentes em abrigos. "Não procedem informações de convites feitos a qualquer cidadão fora deste grupo", diz a nota oficial. O Ministério Público de Alagoas (MP-AL) abriu procedimento preparatório que cita Carlinhos Maia e o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (conhecido como JHC), do PSB. Os dois serão ouvidos na investigação sobre o convite que o influenciador teria recebido da administração municipal para "furar a fila" da vacina de covid-19.

Veja mais: Samara Felippo se diverte com perguntas bizarras no 'Yahoo Respostas'