Cara Delevingne e Margot Robbie devem depor após briga com fotógrafo

Margot Robbie e Cara Delevingne na premiere europeia de
Margot Robbie e Cara Delevingne na premiere europeia de "Esquadrão Suicida". Foto: Dave J Hogan/Getty Images

Resumo da notícia:

  • Cara Delevingne e Margot Robbie devem ser investigadas após confusão com fotógrafo

  • Pedro Alberto Orquera foi agredido em Buenos Aires, na Argentina

  • Paparazzo contou que machucou o braço e perdeu muito sangue

A confusão com um paparazzo na Argentina deve render a necessidade de Cara Delevingne e Margot Robbie serem chamadas para depor sobre a briga. De acordo com o The Sun, o caso de agressão ao fotógrafo Pedro Alberto Orquera terá investigação das atrizes.

Uma fonte do tabloide alegou que elas devem testemunhar se ainda estiverem em Buenos Aires. "Na minha experiência, como testemunhas, Cara e Margot terão que depor perante o promotor. A única maneira de elas não precisarem prestar depoimento é se já deixaram o país. A promotora declarou que a investigação continua em segredo e ela vai querer falar com Cara e Margot o mais rápido possível", afirmou.

"Ela também ordenou que houvesse um guarda policial no quarto de hospital da vítima para que ninguém pudesse se aproximar dele", completou o insider.

Segundo o portal, Pedro Alberto teve um braço quebrado pelos cineastas britânicos na saída de um restaurante por Jose McNamara e Jac Hopkins, que acompanhavam Cara e Margot em um jantar na região de La Boca, na capital argentina. "Tentaram levar minha câmera para apagar as fotos que eu havia tirado. Comecei a fugir deles porque eles estavam me batendo. Enquanto eu estava fugindo deles, eles me chutaram com força, então minha câmera subiu no ar e eu caí no chão e machuquei meu braço", descreveu Pedro ao The Sun.

"Estava sangrando muito. Estava perdendo muito sangue, em poucos minutos a polícia chegou. A Sra. Robbie - que eu pude identificar - tocou o ombro de um de seus seguranças e apontou com o dedo para mim. Foi então que várias pessoas começaram a me bater e a perseguição começou. Senti que eles conseguiram me atingir e fui derrubado na calçada com tanta velocidade que, se eu tivesse caído de cabeça, eles teriam me matado", completou.