Cantoras Marly Montoni e Juliana Taino apresentam-se na cripta da Catedral da Sé, em São Paulo

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 22.09.2017: ÓPERA-SP - A atriz Marly Montoni na estreia da ópera
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 22.09.2017: ÓPERA-SP - A atriz Marly Montoni na estreia da ópera

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Acontece neste sábado (30) a apresentação das cantoras líricas Marly Montoni e Juliana Taino, que interpretarão duetos e árias de grandes óperas de Verdi, Puccini e Mozart entre outros. Soprano e mezzo-soprano, respectivamente, as duas artistas têm presença de destaque em montagens de alguns dos principais palcos do Brasil como no Theatro Municipal de São Paulo, na Praça das Artes, de Belo Horizonte e no Teatro da Paz, de Belém. A pianista Luciana Simões acompanhará as cantoras.

"Dada a dimensão intimista da cripta, será uma oportunidade bastante especial para o público ver e ouvir de muito perto essas grandes intérpretes", disse Camilo Cassoli, diretor geral da série Concertos Cripta. "Essa proximidade não é possível nem nos melhores lugares das principais salas de concerto. Com certeza o público irá se emocionar com a técnica dessas intérpretes".

Centenária, a cripta da Catedral da Sé de São Paulo foi inaugurada no dia 16 de janeiro de 1919, seis anos após o início da construção do atual templo e oito anos após a demolição da antiga Sé.

Capela subterrânea que abriga 30 câmaras mortuárias, a cripta fica 7 metros abaixo do nível da praça da Sé. Acessível por duas escadas localizadas nas laterais do altar-mor e presbitério da catedral, a cripta tem 365 metros quadrados e foi projetada em formato de cruz. Na nave central, atrás das escadas, estão localizados os túmulos do padre Diogo Antônio Feijó, regente do Império do Brasil entre 1835 e 1837, e do índio Tibiriçá, cacique da tribo tupiniquim que habitava a região de Piratininga na chegada dos portugueses, em 1554.

Além dos restos mortais de todos os bispos da fase diocesana de São Paulo (entre 1745 e 1908, quando a cidade ainda fazia parte da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro), está sepultado na cripta da catedral o padre Bartolomeu de Gusmão, que inspirou um dos personagens principais do livro "Memorial do Convento", do escritor português José Saramago. Acusado de bruxaria por seus contemporâneos e denunciado à Inquisição, padre Bartolomeu é considerado o inventor do balão de ar quente.

Os concertos, realizados aos sábados às 16h, têm ingressos gratuitos distribuídos a partir das 15h, ao lado da secretaria da catedral da Sé (à direita do altar principal). São 70 ingressos distribuídos ao público por apresentação. A série Concertos Cripta tem 30% das apresentações com tradução em LIBRAS. Mapa tátil, guia de visita audiodescrita e folder em braille são disponibilizados pelo projeto, além de barras de acesso nas escadas e assentos reservados para idosos, obesos e deficientes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos