Canal de Lacombe exibe vídeo pornográfico e é removido pelo YouTube

·1 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Instagram (@luis.lacombe)
Foto: Reprodução/Instagram (@luis.lacombe)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O canal de Luís Ernesto Lacombe, 54, foi retirado do YouTube nesta terça-feira (8). De acordo com o apresentador do Opinião no Ar (RedeTV!), isso ocorreu após a publicação de conteúdo pornográfico por hackers que invadiram a página. 

Procurado pela reportagem, o YouTube disse estar investigando se o canal foi realmente invadido ou não. "Após identificarmos um conteúdo que violou gravemente nossas políticas, o canal Luis Ernesto Lacombe foi encerrado", disse a plataforma em nota. "O YouTube está investigando o caso para entender se esta seria uma atividade legítima ou resultado de uma invasão do canal por pessoas mal-intencionadas." 

Leia também:

Lacombe tinha cerca de 1 milhão de seguidores e havia publicado cerca de 130 vídeos. Além do canal dele, também teria sido invadido o canal Brasil Paralelo. "Coincidentemente, dois canais com conteúdo conservador e de direita", observou o jornalista nas redes sociais. 

O jornalista afirma que sua equipe está tentando reaver o canal, mas que tem tido dificuldades em lidar com o YouTube já há algum tempo. Ele diz que as publicações dele não costumam ser entregues para todos os seguidores, bem como alguns vídeos são deletados pela plataforma. 

Entre os vídeos deletados, estão uma entrevista com o médico Alessandro Loiola, que costuma divulgar informações falsas sobre a segurança das vacinas contra a Covid-19. Outras entrevistas do médico também foram retiradas da plataforma. 

Lacombe também reclamou de não ter recebido as placas enviadas pelo site para quem atinge determinados números de seguidores. "Ainda estou esperando as minhas placas de 100 mil e 1 milhão de seguidores", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos