Caio Castro surge com dreads e gera polêmica; faz sentido acusá-lo de apropriação cultural?

Ator decidiu mudar o visual para curtir o Réveillon 2023

Caio Castro (Foto: reprodução/Instagram/@caiocastro)
Caio Castro (Foto: reprodução/Instagram/@caiocastro)

Antes de embarcar para Jericoacoara (CE), onde pretende passar a virada de ano, Caio Castro decidiu mudar o visual. Nas redes sociais, o ator compartilhou o processo de transformação, mostrando os fios mais claros e dreadlocks sendo feitos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Como em outras situações, não demorou muito e Caio começou a ser acusado de apropriação cultural, uma vez que os dreads têm ligação direta com a cultura e a estética negra, além de serem considerados um símbolo de resistência.

“O que a falta de uma aula de história não faz na vida de alguém, né?”, alfinetou uma usuária no Instagram. “…Depois de discutirmos tanto sobre apropriação cultural nos últimos anos. Ninguém está achando problemático, não?”, questiona outra.

É preciso pontuar que, por diversas vezes, ativistas já frisaram que o debate sobre apropriação cultural não é individual, e sim coletivo, social. Ou seja, a questão não é uma ou outra pessoa branca usar dread ou turbante, e sim esses elementos terem a origem e o significado completamente esvaziados (inclusive em campanhas publicitárias e desfiles de moda que não trazem pessoas negras no cast).

Outra reflexão proposta com frequência pelo movimento negro é: por que um homem branco de dread é considerado “descolado” e um homem negro de dread é alvo de perguntas e comentários no mínimo inapropriados? Por que uma mulher loira de turbante é vista como “fashionista” e uma mulher negra de turbante é hostilizada? Vale refletir!