Caetano Veloso lamenta morte de Paulo Gustavo: "O povo deve revoltar-se contra os responsáveis"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·5 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Caetano Veloso lamenta morte de Paulo Gustavo (Foto: Reprodução/Instagram@caetanoveloso)
Caetano Veloso lamenta morte de Paulo Gustavo (Foto: Reprodução/Instagram@caetanoveloso)

A morte de Paulo Gustavo na noite desta terça-feira (4), após complicações provocadas pela covid-19, deixou boa parte do país consternada. Muitas homenagens estão sendo feitas nas redes sociais para o ator e humorista, que era muito querido no meio artístico. 

"Paulo Gustavo é a expressão da alegria brasileira", disse Caetano Veloso. "Essa alegria que nos veio de fora em forma de fama, já que minha geração cresceu crendo no mito das 'três raças tristes' de que nosso povo se teria formado", iniciou o artista.

Leia também

"Nascido já depois da glória futebolística brasileira, do aumento de canções que falam de amores vitoriosos (da bossa nova a Roberto Carlos), do cinema que teve força crítica e, depois, domínio técnico e comunicação com o grande público —e da afirmação do alto nível de criação televisiva—, Paulo, esse poço de talento e gerador de prazer doado ao Brasil por Niterói, encarnou, em seu trabalho e em sua vida pessoal, essa alegria antes apenas mítica", continuou. 

"É significativo que a notícia de que o perdemos chegue no dia em que se abre a CPI da Covid no Senado Nacional", finalizou Caetano, que já se posicionou contra o governo de Jair Messias Bolsonaro (sem partido). 

"O povo brasileiro, que encheu os cinemas para rir com Paulo Gustavo, está de luto. E deve revoltar-se contra os responsáveis por nossa vulnerabilidade frente à pandemia que nos tirou essa pessoa amada por representar nossa vocação para o SIM", finalizou Caetano.

A atriz Maria Flor também prestou homenagem ao humorista, e concordou com o que o cantor baiano escreveu. "Não conhecia o Paulo, assim como não conhecia as 411.000 pessoas que perdemos até aqui. Não os conhecia, mas reconheço os responsáveis por todas essas perdas. Então, concordo com Caetano Veloso. É significativo que essa notícia chegue no dia da abertura da CPI da covid no Senado Nacional."

Maria continuou: "Minha tristeza é infinita, mas minha revolta é maior. Amor e serenidade para as famílias que perderam seus companheiros, companheiras, filhos, filhas, amigos, amigas, mães e pais no nosso país."

Luto

O ator estava internado em um hospital particular do Rio de Janeiro desde o último dia 13 de março e pouco mais de 10 dias depois precisou ser sedado, intubado e monitorado na UTI.

O último boletim médico do ator foi divulgado às 21h12 para anunciar a morte.

"Lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da covid-19 e suas complicações."

"Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento. A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos", diz o documento.

O ator chegou a ser retirado da sedação neste domingo (2) e interagiu com o marido e a equipe médica que o assiste. Mas infelizmente teve uma súbita piora e precisou ser novamente sedado. "À noite, subitamente, houve piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade", diz o documento emitido nesta segunda-feira (3).

A família foi chamada ao hospital nesta manhã. Paulo Gustavo era casado com o dermatologista Thales Bretas. A união foi oficializada em uma grande festa em 2015 e dois anos depois eles se tornaram pais de Gael e Romeu, que nasceram de barriga solidária gestada nos Estados Unidos.

O ator é filho de Déa Lúcia, a famosa mãe do maior sucesso dele: a série de filmes e a peça 'Minha Mãe É uma Peça'.

Amigos famosos

Desde sua internação por covid-19, vários amigos famosos do ator pediram orações nas redes sociais. Entre eles Tatá Werneck, Regina Casé, Mônica Martelli, Carolina Dieckmann, Mariana Xavier, Carol Trentini, Flora Gil, Fábio Porchat, Caetano Veloso, Daniela Mercury, Angélica, Marcos Veras, André Marques, Larissa Manoela, Mariana Ximenez e outros.

A família do ator chegou a fazer corrente de orações nas redes sociais ao meio-dia, às 15h e às 18h. “Força, irmão! Estou morrendo de saudade! Meu amor por você vai além desse plano. Nossas almas já passeavam juntas por aí antes da gente nascer e dividir nosso primeiro quarto. Estou aqui pra você sempre! Te amo muito. Que Deus te cure e a todos os enfermos. Peço a todos que continuem na corrente de oração nos horários 12h , 15h e 18h", pediu Juliana Amaral, irmã do ator.

História

Paulo Gustavo é ator, humorista e escritor que se formou pela Casa das Artes de Laranjeiras. Nascido em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, ele começou a ganhar destaque na mídia em 2004, quando fez parte do elenco da peça ‘Surto’.

À época ele já interpretava Dona Hermínia, personagem inspirado em sua mãe e marca de sua carreira. Em 2006 estreou a obra que seria seu grande sucesso, ‘Minha Mãe É Uma Peça’. Autoral, o espetáculo ficou cerca de quatro anos em cartaz sempre com a casa cheia.

Em um intervalo da peça criou o ‘Hiperativo’, um stand-up que satirizava sobre o comportamento das pessoas e as relações humanas. O trabalho virou um programa no Multishow, o ‘220 Volts’ e ‘Minha Mãe É Uma Peça’ se tornou filme, com três sequências.

A última, se tornou o filme brasileiro mais assistido da história do cinema nacional e arrecadou R$ 143,9 milhões. O segundo filme é o sexto mais visto e levou cerca de R$ 9.307.612 espectadores às salas de cinema.

Na TV, Paulo fez parte do humorístico ‘Vai Que Cola’ e hoje integra o time de ‘A Vila’, ambos do Multishow. Com a peça 'Minha Mãe É Uma Peça', Paulo ganhou o Prêmio Shell de Melhor Ator, um dos mais importantes do país, em 2006. Com as sequências 1 e 2 do filme ele ganhou o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de Roteiro Adaptado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos