Caetano declara voto em Lula mesmo 'adorando' Ciro; veja o vídeo

***ARQUIVO*** BRASILIA, DF,  BRASIL,  09-03-2022, 12h00: Ato pela Terra, em frente ao Congresso Nacional. O protesto convocado pelo cantor Caetano Veloso busca derrubar projetos de lei que são considerados pelos ambientalistas nocivos ao meio ambiente. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 09-03-2022, 12h00: Ato pela Terra, em frente ao Congresso Nacional. O protesto convocado pelo cantor Caetano Veloso busca derrubar projetos de lei que são considerados pelos ambientalistas nocivos ao meio ambiente. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O cantor e compositor Caetano Veloso gravou um vídeo para a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em que declara voto no petista no pleito deste ano, mesmo "adorando Ciro [Gomes, do PDT]".

"Eu reconheço sempre a importância de Lula, o histórico dele. Votei nele chorando, a primeira vez que votei, quando ele se elegeu. A primeira vez que votei [em Lula] foi contra Collor", afirma o baiano na peça gravada.

"E agora, sinceramente, mesmo a gente adorando Ciro e respeitando o que ele planeja e promete, eu acho que é o negócio é [o artista aparece gesticulando um "L" com as mãos]... Tem que ser Lula", segue Caetano. O vídeo tem 32 segundos.

Como mostrou a reportagem, a campanha do candidato do PT à Presidência articula um movimento com artistas para tentar atrair eleitores do pedetista já no primeiro turno. A ideia é lançar uma série de vídeos de personalidades em apoio à candidatura de Lula.

A ação, capitaneada pelos aliados do candidato, conta com a ajuda da empresária Paula Lavigne, mulher de Caetano.

"O Caetano sempre foi Ciro, ele deu essa declaração que ele é Ciro de coração, mas vai votar no Lula. Sim, estou fazendo algum material para que isso possa repercutir mais. Estamos bolando alguma coisa que realmente bata nos corações", disse Lavigne ao jornal Folha de S.Paulo na semana passada.

A última pesquisa Datafolha mostrou o petista com 45% das intenções de voto, contra 33% de Bolsonaro. Em terceiro lugar, empatados tecnicamente, ficaram Ciro Gomes, com 8%, e Simone Tebet (MDB), com 5%.