Cacau Protásio diz que quase desistiu de fazer filme após ataque racista

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 19.11.2012: A atriz Cacau Protásio no Troféu Raça Negra 2012, realizado na Sala São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atriz Cacau Protásio, 44, disse que quase desistiu de fazer o filme "Juntos e Enrolados" depois de sofrer ataques racistas nas gravações do longa em um quartel dos bombeiros no dia 23 de novembro, no Rio.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

"Não queria mais trabalhar, ver gente, pensei em desistir do filme", afirmou ela em entrevista ao jornal O Globo. 

Leia também

Com a ajuda do marido, da terapia e da equipe do longa, a atriz contou que conseguiu reagir, mas disse que ainda tem crises de choro "toda hora". 

"Aumentei a terapia de uma para três vezes na semana. Estou panicada mesmo. Acho que tem alguém pulando o muro da minha casa, parei de dirigir porque sentia que estavam me seguindo. Só consegui terminar o filme porque tive apoio dos colegas [chora]", afirmou.

Apesar de muito abalada, Cacau também contou que sabia que tinha que se posicionar. Por isso, ela resolveu na ocasião gravar um vídeo no Instagram falando sobre as ofensas que sofreu. No filme, a atriz interpreta uma sargento dos bombeiros.  

"Não imaginava que o vídeo da minha resposta fosse repercutir tanto, dar um se liga nas pessoas. Porque até aquele que é preconceituoso velado vai pensar duas vezes antes de fazer algo. Não consigo entender por que tanto ódio por causa de uma cor de pele."

Em novembro, bombeiros teriam compartilhado áudios com ofensas racistas e gordofóbicas à atriz via WhatsApp. 

Algumas das mensagens foram divulgadas pelo blog do jornalista Léo Dias, do UOL. "Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do 'Vai que Cola', aquela gorda, botou a farda e colocou uns dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma putaria dessas no pátio do quartel?", afirmava um homem.

Outro bombeiro estende as ofensas também ao governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), que ele chama de "um comédia, um cuzão". "De comédia pra viado é um pulo. Mete aquela gorda, preta, filha da puta na farda de bombeiro. Uma bucha de canhão daquela, um monte de bailarino viado quebrando até o chão", comentou outro. 

Inicialmente, quando soube dos áudios, Cacau contou que pensou que iria "ficar mais famosa ainda". "Mas, ao ouvir, me senti a pior pessoa do mundo, acreditei em tudo que ele estava falando", afirmou ao jornal O Globo. 

Além de aparecer em "Juntos e Enrolados", a atriz estará em outros três filmes em 2020: "A Sogra Perfeita", "Canta pra Subir" e "No Gogó do Paulinho".