Após mais uma semana de atraso, Butantan recebe insumos para 5 milhões de doses da CoronaVac

·2 minuto de leitura
Até o momento o Butantan entregou 40,7 milhões de doses da CoronaVac ao PNI - Foto: REUTERS/Carla Carniel
Até o momento o Butantan entregou 40,7 milhões de doses da CoronaVac ao PNI - Foto: REUTERS/Carla Carniel
  • Lote com 3 mil litros de insumo para CoronaVac chega a SP

  • Prazo inicial para a chegada era 10 de abril e passou para 14 de abril

  • Segundo Butantan, atrasado foi por demora na autorização de embarque que é concedida pelo governo chinês

O Instituto Butantan recebeu na manhã desta segunda-feira um lote de 3 mil litros do insumo farmacêutico ativo (IFA) da CoronaVac, vacina do laboratório chinês Sinovac, que serão suficientes para o envase de 5 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 a serem entregues ao Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. 

A carga, importada da China, chegou por volta de 6h no aeroporto internacional de Guarulhos. Inicialmente a previsão era de chegada no dia 10 de abril, posteriormente adiada para o dia 14. 

Leia também

Com o atraso na chegada do IFA, causado segundo o Butantan pela demora na autorização de embarque pelas autoridades chinesas, o instituto já anunciou que concluirá apenas no início de maio a primeira parte do contrato com o Ministério da Saúde, que prevê a entrega de um total de 46 milhões de doses da vacina, inicialmente prevista para o dia 30 de abril. Até o momento o Butantan entregou 40,7 milhões de doses da CoronaVac ao PNI. 

Mesmo com atraso, CoronaVac segue dominando imunização no país

Mesmo com atraso nos insumos, Coronavac é predominante nas campanhas de imunização em todo o país - Foto: AP Photo/Andre Penner
Mesmo com atraso nos insumos, Coronavac é predominante nas campanhas de imunização em todo o país - Foto: AP Photo/Andre Penner

O contrato do instituto vinculado ao governo do Estado de São Paulo com o ministério prevê também a entrega de mais 54 milhões de doses da CoronaVac até o final de setembro, prazo que o Butantan promete antecipar para agosto. 

Mesmo com o atraso na chegada do IFA, e o consequente impacto nas entregas previstas para o PNI, a CoronaVac responde pela esmagadora maioria das vacinas contra Covid-19 sendo atualmente aplicadas no Brasil, já que o envase da vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, que está sendo feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao governo federal, está atrasado. 

***Por Eduardo Simões