Bruno Gagliasso critica Regina Duarte: "Não dá pra desculpar"

Foto: Reprodução/Instagram/CNN Brasil

A entrevista polêmica de Regina Duarte à CNN Brasil nesta quinta-feira (7) revoltou famosos e anônimos. O ator Bruno Gagliasso fez uma carta aberta para a atriz no Instagram. No texto, ele diz que “não tem como desculpar” a secretária especial de Cultura do governo Bolsonaro por seus discursos e atitudes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

O texto foi escrito como uma resposta para um trecho da entrevista em que Regina pede desculpa, mas em seguida relativiza as mortes ocorridas no período da Ditadura Militar no Brasil. “Não dá pra desculpar não, Regina. Não dá pra desculpar o seu deboche com torturados pelo Estado, sua naturalização da barbárie”, iniciou Gagliasso.

Leia também:

Em seguida, o ator chamou a colega de arrogante e afirmou que Regina esqueceu que faz parte de um governo que deveria trabalhar para todos. Bruno também falou sobre sua falta de projetos e o descaso com os trabalhadores do audiovisual brasileiro.

“Não dá pra desculpar sua falta de diálogo com a categoria, a sua estupidez com jornalistas e ex-colegas de trabalho. Não dá pra desculpar a preferência que a senhora tem por ditadores, genocidas, irresponsáveis, gente sem compromisso com a verdade e com a vida”, prosseguiu o artista.

No fim do texto, o marido de Giovanna Ewbank falou sobre a pandemia e cobrou uma atitude de Regina Duarte como parte do atual governo. “Não dá pra desculpar os 9.146 corpos que estão enterrados com uma pá de descaso do seu governo. Não dá pra desculpar todos esses caixões que a senhora desenterra e carrega nas costas junto com seu governo e com sua ideologia monstruosa. Não dá pra te desculpar, Regina. Não dá pra desculpar”, finalizou ele.

Na tensa entrevista que motivou Bruno Gagliasso a escrever um texto para Regina, além de relativizar mortes, a secretária repercutiu uma crítica do ator Paulo Betti, que classificou como uma “perda muito grande” para a carreira profissional dela a ida às fileiras do governo Bolsonaro.

Ela também falou sobre a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça, mas abandonou o estúdio quando os apresentadores Reinaldo Gottino e Daniela Lima pediram que ouvisse uma mensagem de apelo da colega Maitê Proença. “Desculpa, isso não estava na nossa entrevista. Não foi combinado nada disso. Eu achei que era uma entrevista com você Daniel, como assim entrar pessoas, desenterrar mortos, pelo amor de Deus”, disse.