Bruna Surfistinha rebate crítica de Bolsonaro: 'Não tem moral para falar da minha vida'

Raquel Pacheco, a Bruna Surfistinha. Foto: reprodução/Instagram/bsurfistinhaoficial

A crítica repentina do Presidente da República ao filme que conta sua história, lançado há oito anos, pegou de surpresa a empresária Raquel Pacheco, conhecida como Bruna Surfistinha. Mas a loura tem uma opinião clara sobre o assunto: não vai levar desaforo para casa e quer lançar o quanto antes a sequência do longa.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Ele estava fazendo referência à minha história de vida, sendo que ele não tem moral nenhuma para falar nem da minha vida nem da vida de ninguém”, afirmou Raquel à coluna de Mônica Bergamo, na “Folha de S. Paulo”.

Leia também:

De início, quando recebeu a notícia, de que Jair Bolsonaro havia dito “Não posso admitir que façam filmes como o da Bruna Surfistinha”, ela chegou a pensar que havia sido uma retaliação a um tweet dela publicado em março. Na ocasião, a empresária escreveu: “Me chame de puta, mas não me chame de bolsominion, pelo amoooor de Deus!”.

Raquel conta que o segundo filme já está no papel. A história gira em torno de sua vida após deixar a prostituição, e, segundo ela, há chance de ela mesma ser a atriz principal, substituindo Deborah Secco.

“Quero que saia o quanto antes para calar bocas. Não vamos contar com a Ancine. Mas vai ser questão de honra”, afirmou ela, que ainda tem planos de lançar um canal no YouTube, novidades em sua loja de itens eróticos e um outro livro sobre o período em que era garota de programa.