Bruna Marquezine pede voto para Lula nas eleições 2022 e rechaça Bolsonaro

<p>Bruna Marquezine deu show de simpatia em première com Viola Davis (Foto: Roberto Filho / Brazil News)</p>
Bruna Marquezine é eleitora de Lula (Foto: Roberto Filho / Brazil News)

Resumo da Notícia:

  • Bruna Marquezine está engajada nas eleições de 2022

  • A atriz manifesta suas preferências políticas nas redes sociais

  • Politizada depois de adulta, ela ressalta a importância da informação plural

Bruna Marquezine está na Europa para participar de diversos desfiles das semanas de moda que acontecem por lá, mas nem por isso deixou de lado o momento crucial que o Brasil vive nesta semana. No próximo domingo (2), mais de 150 milhões de eleitores elegem novo presidente, senadores e deputados.

Para a eleição, que é considerada uma das mais importantes da história, a atriz e influenciadora já escolheu um lado, o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Além de declarar publicamente sua preferência, Bruna ainda pede votos e explica a importância de escolher o petista na urna.

“Hoje, é muito claro, nas pesquisas, que essa terceira via não vai ao segundo turno. Sabendo disso, em hipótese alguma, voto ou votei no Bolsonaro. A gente precisa fazer o que for necessário para tirar essa pessoa do poder. A única pessoa que pode fazer isso é o Lula”, contou à imprensa durante evento de moda na semana passada.

A atriz ainda ressaltou a importância de pesquisar os candidatos e assistir debates para votar de forma consciente. “Cresci num lar que não era super politizado. A internet mudou isso, leva informação o tempo inteiro para todo mundo. Tento me nutrir cada vez mais de informação”, avisou.

Bruna também apontou o que espera do próximo governo. “Muita coisa que aconteceu nesses quatro últimos anos que me entristecem profundamente. É impossível falar de Brasil e não falar da Amazônia, me dói ver números do desemprego… É uma longa lista de coisas que a gente espera que o próximo governo repare. E é difícil fazer em quatro anos, mas que pelo menos que comece! Na área da cultura, me dói, num momento tão feliz da minha carreira, ver tantos amigos frustrados, sem incentivo algum”, conclui.