Bruna Marquezine lamenta espancamento de amigo gay: 'Vai além da opinião política'

A atriz contou que tem se esforçado para não brigar com pessoas que pensam de forma diferente (Reprodução/ Instagram/ @brumarquezine)

Depois de se posicionar contra a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da república e sofrer ataques por isso, Bruna Marquezine contou, em entrevista à revista “Quem”, que está com medo depois de saber que um colega homossexual foi espancado por motivações políticas. A atriz revelou que tem se esforçado para não brigar com as pessoas que pensam diferente dela, mas que tem sido difícil.

“Eu não acho que a gente tem que entrar no ódio. Passei a tarde me arrumando vindo para cá tremendo, porque uma pessoa do nosso meio foi espancada na rua, um homossexual. Perdeu a memória, vai ter que operar o maxilar. Já está tudo perdido, isso me desespera muito! Eu não gostaria de brigar com pessoas que eu amo, porque eu acho que a gente começa a vibrar nessa energia que essa pessoa está trazendo. Eu tento evitar isso [brigar] ao máximo, mas é difícil”, disse Bruna Marquezine.

Leia mais:
Ludmilla divulga foto ousada e se elogia: ‘Uma gracinha’
Bruna Marquezine planeja deixar o Brasil: ‘Tentando me organizar’

A atriz também ponderou que as diferenças vão além da política. “Vai além da opinião política. Você começa a ver valores diferentes, vai para outro lugar a discussão. Eu tento não brigar com as pessoas. Até porque é o meu ponto de vista, o que eu acredito. Cada um tem uma opinião, a gente tem que entender que não existe uma verdade única”, explicou Bruna Marquezine.