Bruna Linzmeyer fala sobre homofobia: 'Quem me interessa, me respeita'

Bruna minimizou os ataques homofóbicos que sofreu nas redes sociais (Reprodução/ instagram.com/brunalinzmeyer)

 

Depois de admitir que sofreu preconceito quando assumiu seu namoro com Priscila Visman, Bruna Linzmeyer contou que gostaria de ser vista como exemplo para as pessoas que têm medo de assumirem a homossexualidade. “Fico muito feliz se eu estiver (sendo exemplo). Porque a questão está muito mais avançada. Acho que a própria Gloria (Perez) está tratando isso na novela (‘A Força do Querer’). A questão de gênero e sexualidade está muito mais ligada aos trans do que ser gay ou não. Todo mundo foi gay durante toda a história da humanidade“, disse a atriz em entrevista ao “TV Fama”.

Bruna também comentou os ataques homofóbicos que sofreu nas redes sociais e minimizou a importância deles. “Quem me interessa, me respeita. E é isso que importa. Eu já sofri, mas o preconceito que as pessoas sofrem de verdade por ser gay, que são mortas, que são marginalizadas, perdem emprego, isso é muito sério. Mais do que o preconceito que eu sofro…”, afirmou ela.

Leia mais:
Anitta aparece de cara lavada e surpreende fãs
Leão Lobo e Aguinaldo Silva trocam farpas nas redes sociais

Por fim, Bruna Linzmeyer contou que não é muito rígida quando o assunto são relacionamentos. “Gosto de homens, de mulheres, de pessoas. Eu me apaixono e me interesso pelo ser humano, não importa que gênero ele tenha. Não há o que esconder. E, se alguém não quiser trabalhar comigo por preconceito, eu vou achar até bom. Quero conviver com pessoas que acreditem num mundo melhor, e o mundo melhor em que eu acredito é esse em que gente não tenha preconceito de namorar alguém do mesmo gênero. Precisamos sentir, não é só o que sociedade impõe. Não pode aceitar traição? De repente, pode sim. Segue o coração, se ele acalmou, tudo bem. Não existe um método para lidar com isso”, defendeu ela.