Brasileiros contam por que escolheram Portugal para viver; saiba como imigrar

·6 min de leitura
Brasileiros se mudam para Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal)
Brasileiros se mudam para Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal)

Com um combate eficiente à covid-19 e políticas de imigração favoráveis a brasileiros, Portugal tem atraído muita gente que deseja deixar o país em busca de uma vida melhor.

Segundo números de novembro, divulgados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), vivem no país aproximadamente 214.500 cidadãos brasileiros. Contudo, a entidade não contabiliza quem vive ilegalmente em solo português.

Além da imigração em massa, desde a abertura do país para o turismo, Portugal já contabilizou a entrada de mais de 100 mil brasileiros somente nos primeiros vinte dias de setembro, de acordo com dados do Serviço de Imigração e Fronteiras (SEF).

A justificativa para a alta demanda em relação ao país está na segurança e qualidade de vida, de acordo com a influenciadora digital e professora de inglês Nayandra Pereira, que vive em Portugal há um ano e cinco meses. Antes de imigrar, ela visitou Lisboa e se apaixonou. “O nível de criminalidade é muito baixo e eu como mulher, consigo me locomover para vários lugares na hora que eu quero, sem ter aquele medo de ser assaltada. Isso não tem preço”, destaca.

A condição geográfica também favoreceu a escolha da brasileira. “Você consegue viajar bastante e muitas vezes pagando menos de dez euros em uma passagem. Eu consigo ter acesso a muitos lugares sem gastar muito dinheiro.”

Ao contrário da brasileira Nayandra, a criadora de conteúdo Mariana Neves Neubra, 34, não cogitou o país logo de cara. Na época, como morava na Irlanda, pesquisou lugares que tivessem facilidade para morar e descobriu que o governo português oferecia vistos específicos para empreendedores.

Foi então que ela e o marido abriram uma barbearia na capital e começaram uma nova vida no país. “O visto ia expirar e vi que lá era possível viver legalmente sem ter um passaporte europeu. Por isso escolhi o destino”, conta.

Por que escolher o país?

Mesmo diante das adversidades de morar no exterior, as brasileiras contam que Portugal se destaca em relação a outros territórios do mundo. Além da facilidade de locomoção, o país também atrai turistas e residentes pela flexibilidade do idioma.

Alguns estabelecimentos exigem que o trabalhador fale inglês, mas não são todos. “A facilidade de comunicação faz com que as pessoas vejam o país pela proximidade linguística. Muitos brasileiros estão aqui pela facilidade do visto. É um dos países, em termos de burocracia, mais fáceis e onde qualquer brasileiro consegue morar”, ressalta Mariana.

Brasileiros contam sobre experiência em Portugal (Foto:Reprodução/ Arquivo pessoal)
Brasileiros contam sobre experiência em Portugal (Foto:Reprodução/ Arquivo pessoal)

Outro ponto que se sobressai dos demais é a educação oferecida no local. Tanto as escolas quanto as faculdades oferecem ótimos cursos aos estudantes, independentemente da idade. Para crianças, a maioria do ensino é público. Já para os adultos, os cursos podem ser oferecidos a preços populares ou competitivos, sendo bem menores do que países como os Estados Unidos e Canadá. “Há vários acordos que facilitam. Várias universidades portuguesas aceitam o ENEM, por exemplo. Muitas pessoas ainda não sabem”, afirma Nayandra.

Estudar foi o que motivou a tradutora literária e também criadora de conteúdo Carol Candido, 33, que vive em solo português há quatro anos. “Escolhi morar aqui porque o mestrado que eu desejava cursar estava aqui. Morei na Irlanda por quatro anos e em determinado momento comecei a pesquisar sobre mestrados na minha área e encontrei o curso que eu queria aqui”, conta ao Yahoo.

Como um brasileiro pode morar em Portugal? (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)
Como um brasileiro pode morar em Portugal? (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)

Outro atrativo que se destaca em relação a outro país é a proximidade cultural com o Brasil. “Há muitas cidades brasileiras que foram construídas por portugueses na época da colonização e que, por isso, se parecem muito com cidades portuguesas. Há quem aponte grande semelhança entre Rio de Janeiro e Lisboa, por exemplo”, destaca a tradutora.

O “lado B” do território português

Mesmo diante dos baixíssimos índices de criminalidade, Portugal também oferece problemas aos turistas e para quem decide imigrar para a região.

Um dos mais citados por brasileiros que residem no país são as baixas remunerações pagas pelas empresas. Hoje, o salário mínimo é de 740, 83 euros. “É um salário muito baixo, mesmo com o custo de vida barato. A conta não fecha. Portugal obriga você a empreender”, diz Mariana.

Além desse, os brasileiros podem ainda sofrer com xenofobia e racismo de forma intensa, destaca Carol. “Já sofri xenofobia e racismo, em órgãos públicos quando ia fazer meus documentos e também por parte da polícia, em uma situação em que, na presença de outros amigos (brasileiros e portugueses, todos brancos), quiserem verificar somente os meus documentos para verificar se eu estava aqui legalmente.”

Saiba tudo sobre com o é residir em Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)
Saiba tudo sobre com o é residir em Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)

Em uma outra situação, Mariana também já sofreu com xenofobia enquanto trabalhava como guia turística. Um senhor português disse que ela jamais saberia contar a história do país como uma local e que ela vinha do Brasil. “Respondi à altura e disse que tinha me capacitado para tal”, relembra.

Outro desafio apontado é a dificuldade de inserção ambiente português, já que muitos moradores não se “misturam” com brasileiros. “A não ser que você namore ou case, não acho que tem muito esse entrelaçamento. Mas também não acho que seja um problema exclusivo daqui. Acredito que acontece com todo mundo que imigra”, diz Mariana.

As três brasileiras não pretendem morar a vida inteira no país e desejam experienciar outras nações no exterior.

Como imigrar sem passar aperto

Para sair do país, é necessário planejamento financeiro e pessoal para os primeiros meses em Portugal. Chegando no local, o ideal é que se tenha uma boa reserva financeira, já que arranjar um emprego logo de cara poderá ser mais difícil e trabalhoso.

O ideal é ter pelo menos cinco mil euros, para aluguéis “calção”—onde a pessoa paga os próximos meses como garantia e recebe na saída —além de outras despesas ou imprevistos.

O recomendado também é pesquisar o tipo de cidade que deseja morar, já que há muita diferença entre elas. A alta procura por Lisboa, por exemplo, também encarece os aluguéis. Por isso, cidades como Cascais, Aveiro, Porto e outras podem ser uma alternativa para não gastar tanto.

Nayandra na 'Torre de Belém' em Lisboa, Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)
Nayandra na 'Torre de Belém' em Lisboa, Portugal (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)

Outra recomendação é imigrar de maneira legal e não arriscar trabalhar, mesmo estando como turista. Isso poderá acarretar uma deportação e problemas sérios com a polícia.

Por último, pesquise, leia, veja vídeos e converse com pessoas que já residem no país há anos. Isso ajudará no processo e em uma escolha assertiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos