Brad Pitt e Harrison Ford estão entre os apresentadores do Oscar

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Artistas como Harrison Ford, Brad Pitt e Reese Witherspoon estão entre os principais apresentadores do Oscar 2021 cuja cerimônia acontece em Los Angeles no dia 25 de abril. Segundo a Academia, a cerimônia acontecerá como se fosse um filme repleto de glamour. A lista de apresentadores também inclui os principais vencedores do Oscar do ano passado, como Joaquin Phoenix, Renee Zellweger e Laura Dern, assim como o sul-coreano Bong Joon-ho de "Parasita". O Oscar será o primeiro evento a reunir grandes nomes de Hollywood no tapete vermelho depois do início, em março de 2020, da pandemia do novo coronavírus. A 93ª edição do Oscar será transmitida a partir da Union Station e do tradicional reduto do Oscar no Dolby Theatre, em Hollywood. Algumas apresentações musicais ao vivo estão programadas. Haverá conexões com o Reino Unido e a França para contemplar os indicados de fora dos Estados Unidos que evitarão a viagem. Os produtores prometem uma apresentação espetacular, além de filmagens em alta resolução e no formato widescreen. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, responsável pela entrega do Oscar, anunciou os indicados à 93ª edição do prêmio, que está marcado para o dia 25 de abril, dois meses mais tarde do que o habitual, devido à Covid-19. Justamente por causa da pandemia, a cerimônia deve seguir a linha da festa do Globo de Ouro, que aconteceu no mês passado, numa versão híbrida com partes presenciais e outras, virtuais. O filme que dominou as indicações foi "Mank", de David Fincher, com dez menções. Mais uma vez, a Netflix está cheia de oportunidades de bater os estúdios tradicionais de Hollywood em diversas categorias importantes --além do drama em preto e branco, também são dela "Os 7 de Chicago" e "A Voz Suprema do Blues", entre outros. Depois de "Mank", conquistaram seis nomeações cada um os longas "Nomadland", grande favorito da temporada, "Minari", "O Som do Silêncio", "Meu Pai" e "Judas e o Messias Negro". Na categoria de direção, história foi feita com duas mulheres indicadas no mesmo ano, pela primeira vez.