Brad Pitt diz que épico espacial "Ad Astra" é seu filme mais desafiador

Por Marie-Louise Gumuchian

Por Marie-Louise Gumuchian

VENEZA, Itália (Reuters) - Brad Pitt já lutou em guerras, promoveu roubos espetaculares e confrontou rivais no ringue de boxe durante sua carreira, mas o astro de Hollywood diz que seu papel mais desafiador até hoje foi o de um astronauta em uma missão de resgate no épico espacial "Ad Astra". 

O ator de 55 anos leva o público aos confins do sistema solar no papel de Roy McBride após uma nova ameaça que causa desastrosos surtos energéticos coloca a Terra em perigo. 

McBride sai em busca de seu pai, um pioneiro astronauta interpretado por Tommy Lee Jones, que desapareceu há mais de uma década atrás em uma missão a Netuno. 

Passado em um futuro próximo, quando a humanidade tem estações de pesquisa na Lua e em Marte, o filme mostra a jornada de McBride por paisagens espetaculares e pelo vácuo espacial. 

A viagem logo se torna uma jornada de auto-descobrimento. 

"Este filme foi o mais desafiador no qual já trabalhei", disse Pitt, que também é um dos produtores do longa, em uma entrevista coletiva no Festival de Cinema de Veneza, onde "Ad Astra" estreia nesta quinta-feira. 

McBride narra a história e a relação com seu pai em meio à sua odisseia, na qual enfrenta desafios e inimigos e um ambienta hostil e solitário. 

O filme, que também estrela Liv Tyler, Ruth Negga, e Donald Sutherland e que já teve diversas mudanças em sua data de estreia, é considerado um dos principais a serem vistos no festival, que é um importante marco para o início da temporada de premiações de cinema. 

(Reportagem de Marie-Louise Gumuchian)