'Bom dia, Verônica': 7 motivos para maratonar o suspense que fala sobre violência contra mulher

Lucas Pasin
·6 minuto de leitura
 'Bom Dia, Verônica' é uma produção nacional da Netflix
'Bom Dia, Verônica' é uma produção nacional da Netflix

Está buscando um suspense daqueles para maratonar na Netflix? A produção nacional 'Bom Dia, Verônica', que estreou no dia 1º de outubro, certamente irá te surpreender. Além de trazer temas muito relevantes e necessários - como o combate à violência contra a mulher, corrupção e autoestima - a trama deixa aquele 'gostinho de quero mais' a cada episódio, ficando quase impossível não terminar a primeira temporada, de oito capítulos, rapidinho.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

O Yahoo! não quer te dar spoilers, mas separou 7 bons motivos para que você conheça agora mesmo Verônica Torres, uma escrivã da Delegacia de Homicídios de São Paulo que não aceita injustiças, principalmente quando vêm carregada de machismo e opressão.

Leia também

A produção nacional original Netflix é inspirada n livro homônimo de IIana Casoy e Raphael Montes, assinado pelo pseudônimo de Andrea Kilmore. O elenco conta com Tainá Müller, Camila Morgado, Eduardo Moscovis, Adriano Garib e Antônio Grassi, entre outros.

O feriado prolongado (12 de outubro) é uma ótima oportunidade para que você faça pipoca, se jogue no sofá, e tenha muito estômago para saber se a Justiça será feita com o abusador e serial killer Cláudio Brandão, que também é coronel da Polícia Militar de São Paulo. Ah, amanhã, 10 de outubro, é o Dia Nacional da Luta contra a Violência à Mulher. Tudo a ver com a série.

7 motivos para maratonar 'Bom Dia', Verônica':

É preciso combater urgente a violência contra a mulher!

De acordo com dados do Atlas da Violência de 2020, realizado pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), uma mulher é assassinada no Brasil a cada duas horas. 'Bom Dia, Verônica' faz seu papel para combater essa violência e impulsiona muito bem a discussão. Janete, interpretada por Camila Morgado, é vítima de violência doméstica, e encontra em Verônica Torres (Tainá Müller) uma tentativa de fugir dos abusos do marido, Brandão (Eduardo Moscovis).

Ao final de cada episódio, a série traz alertas sobre a violência contra mulher e mostra como denunciar.

A violência aparece na série de determinadas formas, não sendo apenas física. Humilhações, pressões psicológicas e a inserção do sentimento de culpa fazem parte dos alertas da trama.

Série 'Bom Dia, Verônica' retrata a violência doméstica
Série 'Bom Dia, Verônica' retrata a violência doméstica

Autoestima: precisamos falar sobre

Quando falamos de violência, machismo, pressões estéticas e psicológicas, estamos falando diretamente do quanto isso afeta a autoestima. “Bom Dia, Verônica” também aborda o assunto.

Mulheres com problemas de autoestima se tornam, muitas vezes, ‘presas fáceis’, não só para maridos abusadores, mas também para encontros bastante arriscados pela internet. A série deixa o assunto bem claro em sua abordagem e traz, por meio das falas da protagonista Verônica, conselhos e orientações.

Porém, nem mesmo Verônica está livre de cair nas armadilhas da autoestima. E isso você só saberá assistindo.

Verônica Torres é interpretada por Tainá Müller
Verônica Torres é interpretada por Tainá Müller

Atuação de Camila Morgado

"Bom Dia, Verônica" presenteia quem assiste com a atuação de Camila Morgado. Ela, que já brilhou com o filme "Olga" (2004) e a Manuela em "A Casa das Sete Mulheres" (2003), entre outros papéis, deixa o telespectador sem fôlego ao viver a personagem Janete, vítima de violência doméstica.

Janete é uma mulher alegre, cheia de esperança, que se mudou para a 'cidade grande' (São Paulo) com muitos sonhos e apaixonada por seu marido, a quem ela chama carinhosamente de "Vida". Porém, com o passar dos anos e da intimidade, Janete passa a ter uma vida enclausurada e triste. Camila Morgado mostra essas características da personagem apenas com o olhar e nos faz sentir toda a dor e emoção vividas por ela.

Camila Morgado em 'Bom Dia, Verônica'
Camila Morgado em 'Bom Dia, Verônica'

Suspense daqueles com gostinho de quero mais

Pra quem gosta daquela série que te prende do começo ao fim, ‘Bom dia, Verônica’ é um prato cheio. A trama não para e a história não cansa, é um suspense atrás do outro.

Cheia de reviravoltas, a série nos deixa confusos em quem confiar. Se é que, ao falar de corrupção, é possível confiar em algum personagem da trama. O importante é que esse ‘gostinho de quero mais’ faz com que a gente torça, inclusive, para que uma próxima temporada seja confirmada logo.

Trilha sonora nostálgica

Nenhuma música cairia melhor para 'Bom Dia, Verônica', do que "Maria da Vila Matilde", de Elza Soares. Ela é tocada ao final do segundo episódio e fala exatamente do tema proposto pela produção: violência doméstica.

A trilha sonora da série é precisa e ao mesmo tempo nostálgica, com grandes nomes da música popular brasileira, como Zezé Di Camargo e Luciano, Titãs, Belchior e Art Popular. Renato Russo, com "Índios", encerra a série com maestria. A trilha é assinada por Dado Villa-Lobos e Roberto Schilling. Solta o som!

Presente para quem ama São Paulo

Podemos destacar toda a fotografia de ‘Bom Dia, Verônica’. Ambientada em São Paulo, ela é um presente não só para paulistanos, mas também para todo apaixonado pela “terra da garoa”.

É bonito ver como a 'selva de pedras' se torna uma nova personagem na série. Clima predominantemente nublado, noite agitada e um mar de prédios acinzentados encaixam perfeitamente com a velocidade que a trama carrega. Vale destacar a fotografia da série nos momentos 'críticos' de violência também. Tudo tão forte e intenso, que nos coloca totalmente dentro das cenas.

Série 'Bom Dia', Verônica' se passa em São Paulo
Série 'Bom Dia', Verônica' se passa em São Paulo

É uma produção nacional

Por fim, mas não menos importante: ‘Bom dia, Verônica’ é uma produção nacional. Há quem torça o nariz quando fica sabendo disso, mas é extremamente necessário aplaudir o potencial que a série tem para ser uma das melhores produções já feitas pela Netflix no Brasil.

No meio de uma pandemia, onde novelas estão sendo reprisadas e ninguém está conseguindo se quer ir ao cinema, se faz ainda mais necessário valorizar o entretenimento ‘produzido em casa’, não só com um elenco totalmente brasileiro, mas também com produtores, roteiristas e um cenário. Trama atual, roteiro amarrado e instigante. ‘Bom dia, Verônica’ não perde para as séries de sucesso ‘da gringa’.