Bolsonaro veta projeto que obriga SUS a disponibilizar sangue e remédios a pacientes

Eraldo Peres/AP

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Bolsonaro vetou na íntegra um projeto de lei aprovado no Congresso Nacional que garantia a oferta de sangue, componentes, hemoderivados, medicamentos e demais recursos a pacientes do SUS.

  • Decisão foi publicada na edição dessa sexta (27) do Diário Oficial da União; Presidência alegou inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou na íntegra um projeto de lei aprovado no Congresso Nacional que garantia a oferta de sangue, componentes, hemoderivados, medicamentos e demais recursos a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). A decisão foi publicada na edição dessa sexta (27) do Diário Oficial da União.

A informação foi publicada pelo portal UOL, segundo o qual, ao vetar o projeto, a presidência alegou inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público. A publicação citou os ministérios da Economia e Saúde e alegou que a disponibilização "institui obrigação ao Poder Executivo e cria despesa obrigatória ao Poder Público, sem que se tenha indicado a respectiva fonte de custeio".

Leia também

Além disso, argumentou a Presidência, a ausência do "demonstrativo do respectivo impacto orçamentário e financeiro no exercício corrente e nos dois subsequentes" violaria artigos da Constituição.

O autor do projeto é o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Inicialmente, a matéria previa a disponibilização de tratamento a pacientes portadores de coagulopatias congênitas (hemofilias). O texto, no entanto, sofreu alterações ao tramitar no Senado, de modo que a versão aprovada estendeu a medida para todos os pacientes do SUS.

A decisão do presidente ainda pode ser derrubada pelo Congresso.