Bolsonaro gasta 17 vezes mais com propaganda no exterior que governos anteriores

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro celebrates after scoring a goal during the "Natal sem Fome" (Christmas without Hunger) charity football match at Vila Belmiro stadium in Santos, Sao Paulo state, Brazil, on December 28, 2020. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Brazilian President Jair Bolsonaro celebrates after scoring a goal during the "Natal sem Fome" (Christmas without Hunger) charity football match at Vila Belmiro stadium in Santos, Sao Paulo state, Brazil, on December 28, 2020. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)

Para tentar reverter a imagem negativa no exterior, o presidente Jair Bolsonaro gastou 17 vezes mais com propaganda no exterior do que todos os governos que o antecederam na última década, segundo levantamento do UOL.

Os números mostram que o governo pagou R$ 27,7 milhões, em 2020, e R$ 11,7 milhões, em 2019, para “contrapor percepções equivocadas e descontextualizadas, que, por vezes surgem no cenário internacional”, afirmou a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom).

Leia também

No total, os governos Lula (PT), Dilma Roussef (PT) e Michel Temer (MDB) gastaram R$ 2,14 milhões com propaganda no exterior. Ou seja, os gastos em 2019 e 2020 ficaram, respectivamente, 5.331% e 12.812% acima da média anual dos gastos da Presidência de 2009 a 2018.

Até Bolsonaro, os maiores valores tinham sido registrados em 2009, quando o ex-presidente Lula pagou R$ 1 milhão para veicular nos EUA anúncios sobre a Conferência Internacional sobre Biocombustíveis e o Seminário Invest in Brazil - New York.

Em 2017, Temer pagou R$ 882.400 por “estratégia de mídia nas redes sociais”, que incluíram ações de mídia no Facebook no Brasil, e por campanhas de divulgação da carne brasileira no mercado externo. Na época, a operação Carne Fraca, da Polícia Federal, abalou a confiança nos frigoríficos nacionais.

A Secom explicou que veiculou a campanha “Brazil by Brazil” (Brasil segundo o Brasil) em “países considerados estratégicos para o Brasil, como EUA, Alemanha, França, Inglaterra, Noruega e Suécia”. A propaganda foi de 2019, mas o processamento dos pagamentos extrapolou para o orçamento de 2020, segundo a secretaria.

"Campanhas como essas tornam-se necessárias para contrapor percepções equivocadas e descontextualizadas que, por vezes, surgem no cenário internacional em temas nos quais o Brasil se destaca, como meio ambiente, recursos naturais e agronegócio", afirmou a pasta ao UOL.

Em contrapartida, a verba publicitária da Secom diminuiu nos últimos dois anos. Em 2018, a despesa da secretaria foi de R$ 255,6 milhões, e passou para R$ 128,15 milhões em 2020.