Bolsonaro faz testes de Covid-19 e exame em hospital em Brasília

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro arrives at the Emergency Aid Extension ceremony at the Planalto Palace in Brasília, Brazil, on June 30, 2020. The Emergency Aid is a financial benefit granted by the Federal Government to workers and unemployed people affected by the Coronavirus (COVID-19) pandemic. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
A afirmação partiu do próprio presidente em um registro por vídeo durante conversa com apoiadores. (Foto: Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez testes para saber se foi infectado pelo novo coronavírus e passou por exames, no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, nesta segunda-feira (6).

A afirmação partiu do próprio presidente em um registro por vídeo durante conversa com apoiadores, na chegada à residência oficial no Palácio da Alvorada. “Eu vim do hospital agora, fiz uma chapa do pulmão, tá limpo o pulmão, tá certo? Vou fazer um exame do Covid agora pouco, mas está tudo bem”, afirmou o presidente.

Leia também:

Segundo a emissora CNN Brasil, Bolsonaro apresentou sintomas da Covid-19 como febre de 38ºC e teria cancelado a agenda presidencial para o restante da semana. Bolsonaro, de acordo com a emissora, afirmou que estaria tomando hidroxicloroquina combinada com azitromicina.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

No vídeo, o presidente usava máscara e avisou aos simpatizantes que não poderia se aproximar deles por “recomendação de todo mundo”. O teste feito por Bolsonaro, ainda segundo a CNN Brasil, terá o resultado divulgado às 12h de terça-feira (7).

Bolsonaro já fez outros três testes para detecção do coronavírus e havia mantido os resultados sob sigilo. No entanto, o Planalto entregou os exames ao STF (Supremo Tribunal Federal) após uma ação movida pelo jornal "O Estado de S. Paulo", em maio. Todos os exames tinham o resultado negativo.

O presidente cancelou pelo menos três agendas oficiais que teria ao longo desta semana. A primeira, que seria a reunião do conselho ministerial, prevista para terça-feira, está suspensa. Bolsonaro também cancelou um café da manhã com a bancada de parlamentares de Goiás que estava agendado para quarta-feira e também uma viagem à Bahia, programada anteriormente para sexta-feira.

No fim da tarde, ele não participou de uma cerimônia no Salão Nobre do Palácio do Planalto, que contou com a presença da primeira-dama Michelle Bolsonaro e de vários ministros. O presidente deixou o local durante a solenidade, por volta das 17h40. Até o momento, a Presidência não informou para onde ele foi antes de chegar ao Alvorada.

HISTÓRICO NA CRISE

Desde o início da crise mundial do coronavírus, o presidente tem dado declarações nas quais busca minimizar os impactos da pandemia e, ao mesmo, trata como exageradas algumas medidas que estão sendo tomadas no exterior e por governadores de estado no país.

Nos protestos de 15 de março, por exemplo, Bolsonaro desrespeitou recomendações do Ministério da Saúde e cumprimentou apoiadores. "Se eu resolvi apertar a mão do povo, desculpe aqui, eu não convoquei o povo para ir às ruas, isso é um direito meu. Afinal de contas, eu vim do povo. Eu venho do povo brasileiro." Depois, em pronunciamento em cadeia de rádio e TV, falou em "gripezinha ou resfriadinho".