Bolsonaro afirma que falou “PF”, mas não se referia especificamente à Polícia Federal

Inquérito investiga se o presidente Jair Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

Ao ser questionado sobre o vídeo da reunião ministerial, o presidente Jair Bolsonaro ficou irritado. Na saída do Palácio da Alvorada, perguntaram ao presidente sobre a gravação, que faz parte do inquérito que investiga se Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

“Palavra PF, duas letras. Tem a ver com a Polícia Federal, mas é reclamação ‘PF’, no tocante ao serviço de inteligência”, justificou. Segundo o presidente, a transcrição está correta.

O presidente não quis responder mais perguntas sobre o tema. “Não vou me submeter a interrogatório por parte de vocês. Espero que a fita se torne pública para que a análise correta venha a ser feita”, afirmou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O argumento de Bolsonaro segue sendo o mesmo: a preocupação dele era com a segurança da família: “A interferência não é nesse contexto da inteligência, não. É na segurança familiar. É bem claro, segurança familiar, e não toco PF nem palavra 'Polícia Federal'”.

Leia também

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Questionado sobre o Gabinete de Segurança Institucional, que é o órgão responsável pela segurança do presidente e da família, Bolsonaro respondeu que “é palhaçada o que estão fazendo”. “O que eu falei ali no tocante à segurança física. Está bem claro. Quem faz não é PF, nem Polícia Federal é o GSI”, disse.