Bolsonaro diz que "tudo indica" que Regina Duarte aceitará cargo na Secretaria da Cultura

Bolsonaro volta a atacar jornalistas em live no Facebook - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Resumo da notícia

  • “Ela está disposta, com gás e quer colaborar", diz Bolsonaro sobre a possível nova comandante da Cultura

  • Presidente está a caminho da Índia, onde cumprirá agenda oficial até o dia 28

O presidente Jair Bolsonaro, que está em viagem para a Índia, não fez sua tradicional live nesta quinta-feira (23). Bolsonaro, no entanto, apareceu ao lado do ministro dos Transportes, Tarcísio Gomes de Freitas, em um vídeo que foi gravado na quarta-feira (22) no Palácio do Alvorada.

Logo no início, Bolsonaro afirmou que a atriz Regina Duarte está "propensa" a ser secretária da Cultura no lugar de Roberto Alvim – demitido após divulgar um vídeo com frases semelhantes a um discurso de Joseph Goebbels, ministro do regime nazista de Adolf Hitler.

Leia também

"Ela está disposta, com gás e quer colaborar. Se Deus quiser, vai dar tudo certo", disse o presidente. Segundo ele, Regina Duarte – a quem classificou de "equilibrada, vivida e responsável" – ainda está "tomando conta" do que seria sua função como secretária da Cultura antes de decidir aceitar ou não o cargo.

"Tudo indica que ela aceitará. Regina Duarte, se vier, será muito bem-vinda. Ninguém melhor do que você para desempenhar essa função", disse o presidente.

Ataques a jornalistas

Bolsonaro comentou ainda a nota da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) que afirma que a imprensa sofreu violentos ataques em 2019 – e 58% deles partiu do próprio presidente da República, segundo o órgão.

"Estou há dias sem falar com a imprensa porque não quero magoar a imprensa", ironizou Bolsonaro. "Eles estão reclamando. Se a Federação mudar essa posição, eu volto a falar."

Bolsonaro se defendeu e afirmou que "não houve socos, tapas e nem palavrão" nas conversas com jornalistas em 2019. "Quando algum jornalista fica abusando, no momento ali, a resposta é exaltada, porque somos seres humanos. A Federação não gostou, acha que eu tenho que ser subserviente, servil e eternamente educado com eles. Até acho que estou sendo, mas tudo bem", opinou.

Apesar das reclamações contra a Fenaj, Bolsonaro falou com jornalistas na manhã desta quinta – depois, portanto, da gravação do vídeo divulgado na noite de hoje. O presidente conversou com a imprensa quando saiu do Alvorada, antes de embarcar na viagem à Índia.