Bolsonarista que ofendeu Gilberto Gil no Catar declara "absoluto respeito" por ele

Gilberto Gil em posse na Academia Brasileira de Letras. Foto: Daniel Pinheiro/AgNews
Gilberto Gil em posse na Academia Brasileira de Letras. Foto: Daniel Pinheiro/AgNews

Resumo da notícia:

  • Homem que ofendeu Gilberto Gil no Catar se solidariza com o cantor

  • Músico foi hostilizado por bolsonaristas em estádio da Copa do Mundo

  • Empresário se pronunciou sobre o caso nas redes sociais

Brasileiro que hostilizou Gilberto Gil em estádio na Copa do Mundo do Catar usou as redes sociais para se pronunciar sobre o caso ocorrido antes do jogo do Brasil contra a Sérvia. O empresário Ranier Felipe dos Santos Lemache admitiu estar entre os bolsonaristas que ofenderam o artista e declarou "absoluto respeito" por ele.

Lemache negou ter sigo o homem que xingou Gil de "filho da p***" e se solidarizou com o cantor pelas ofensas que não teriam sido proferias por ele. "Gostaria de me solidarizar com o Sr. Gilberto Gil e sua família em virtude da ofensa que a ele fora proferida, uma vez que eu também não gostaria de ouvi-la", escreveu em seu perfil do Twitter. "No entanto, estão veiculando a minha imagem essa ofensa, o que não é verdade", completou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

De acordo com o dono de franquias da Domino's no Rio de Janeiro, ele teria dito as frases "Vamos, Bolsonaro" e "Você ajudou o Brasil pra ca****" e não considera suas declarações ofensivas. "Essa última em evidente tom de ironia, haja vista a divergência política que, com todo respeito, não configura nenhuma ofensa", publicou.

"Em virtude da polarização política existente hoje no Brasil, uma outra pessoa que estava atrás de mim extrapolou e desferiu um xingamento ao Sr. Gilberto Gil. Entretanto, repita-se, NÃO FOI EU! Inobstante a minha divergência aos ideais políticos do Sr. Gilberto Gil, reitero o mais absoluto respeito que tenho ao nobre artista, porém, deixo claro novamente que a ofensa/xingamento não foi por mim proferido", concluiu.