“Nunca escondi minha origem humilde”, defende Bocardi

Rodrigo Bocardi se pronuncia no Twitter. Foto: Reprodução/TV Globo

Após ser acusado de racismo durante a apresentação do ‘Bom Dia SP’ desta sexta-feira (7), Rodrigo Bocardi usou o Twitter para se defender das acusações. O apresentador afirmou que está muito triste com a repercussão do caso e garantiu que tudo não passou de um mal entendido.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

“Muito triste a acusação de preconceito. Eu pratico tênis no Clube Pinheiros. Os jogadores de tênis não usam uniformes, mas os pegadores/rebatedores, sim: uma camiseta igual a do Leonel, com quem tive o prazer de conversar hoje. Ao vê-lo com a camiseta que vejo sempre, todos os dias, pegadores/rebatedores de todas as cores de pele, pensei que fosse um deles”, iniciou o jornalista.

Leia também

A polêmica começou quando Rodrigo perguntou para o atleta negro se ele “pegava bolinha de tênis” no Clube Pinheiros. O rapaz, que usava uma camisa da instituição, afirmou que, na verdade, é atleta de Polo Aquático do local. Muitos acharam que o apresentador foi racista por ter dado a entender que o jovem trabalhava como gandula.

Em seu desabafo no Twitter, Rodrigo disse que não frequenta todas as áreas do clube e não sabia que a camiseta dos atletas era parecida com as dos pegadores. Ele também lembrou que é de origem humilde e passou muito tempo andando de transporte público para ir e voltar do trabalho e escola.

“Alguém como eu não pode ter preconceito. Eu não tenho, nunca tive, nunca terei. E condeno atitude assim todos os dias. Mas se ofendi pessoas que não conhecem esses meus argumentos e a minha história, peço desculpas. Não o chamei de pegador pela cor da pele ou pela presença num trem”, defendeu-se.

Os argumentos não convenceram todos os seguidores do jornalista. Alguns, inclusive, reclamaram de sua foto de perfil. No clique, Bocardi aparece ao lado de um jovem negro. “A foto do meu perfil neste Twitter está aí desde a criação da conta, nunca foi trocada, e foi tirada em 2003 - período que morei em Angola!”, argumentou Rodrigo.