Blogueira plus size de biquíni recebe ordem para se "cobrir"

Pediram que a blogueira Anna O’Brien se cobrisse durante sessão de fotos de biquíni. Ela disse não. (Foto: Instagram/Glitter and Lazers)

Disseram para a blogueira plus-size “se cobrir” durante uma sessão de fotos de biquíni em um hotel de luxo, mas ela insiste que mulheres como ela “serão vistas”.

Na quarta-feira, Anna O’Brien, de 33 anos, moradora de Nova York e fundadora do blog de moda e estilo de vida chamado Glitter and Lazers, compartilhou sua experiência no Instagram, publicando uma foto sua, com um biquíni de estampa de cobra.

“Acho irônico que eu tenha tirado fotos em trajes de banho em todo o mundo e o único lugar onde ouvi que eu deveria me cobrir tenha sido Las Vegas”, escreveu a autora do livro A Life Full of Glitter (em tradução livre, “Uma Vida Cheia de Glitter”), para os seus 250 mil seguidores. “Claro, garotas magras de fio dental e mamilos cobertos, tudo bem; mas uma garota plus size com biquíni completo, tentando fazer um editorial épico, isso aí já é demais. O azar é deles, pois eu já tinha conseguido a foto perfeita. Eles não podem apagar o que aconteceu. Estou aprendendo enquanto me esforço para participar de mais editoriais com esse tipo de conceito, o retorno é maior. Mas é por isso que eu me esforço. É mais do que apenas uma garota de biquíni na cidade do pecado, é uma declaração. Nós seremos vistas. Não vamos mais nos esconder. E vamos vestir o que quisermos, onde quisermos. Não apenas em Las Vegas. POR TODA PARTE. A mudança chegou. A questão agora é: você vai ficar em cima do muro ou vai nos ajudar a avançar?”


Acho irônico que eu tenha tirado fotos em trajes de banho em todo o mundo e o único lugar onde ouvi que eu deveria me cobrir tenha sido Las Vegas. Claro, garotas magras de fio dental e mamilos cobertos, tudo bem; mas uma garota plus size com biquíni completo, tentando fazer um editorial épico, isso aí já é demais. O azar é deles, pois eu já tinha conseguido a foto perfeita. Eles não podem apagar o que aconteceu. Estou aprendendo enquanto me esforço para participar de mais editoriais com esse tipo de conceito, o retorno é maior. Mas é por isso que eu me esforço. É mais do que apenas uma garota de biquíni na cidade do pecado, é uma declaração. Nós seremos vistas. Não vamos mais nos esconder. E vamos vestir o que quisermos, onde quisermos. Não apenas em Las Vegas. POR TODA PARTE. A mudança chegou. A questão agora é: você vai ficar em cima do muro ou vai nos ajudar a avançar?

Esta semana, Anna visitou Las Vegas para montar um catálogo (com suas seleções dos melhores trajes de banho plus size), apresentando vários biquínis e maiôs. Antes de fazer o check-in em seu hotel de luxo (cujo nome Anna preferiu manter em sigilo), ela enviou um e-mail à equipe de relações públicas da empresa e recebeu permissão para tirar fotos no extravagante lobby. “Pedi para fotografar trajes de banho com um fotógrafo profissional e incluí meu kit de mídia”, disse Anna ao Yahoo Lifestyle. “Recebi uma resposta dizendo que era bem-vinda a fotografar em qualquer lugar do hotel, exceto no andar do cassino, desde que não tivesse nenhum equipamento grande.”

Na manhã de terça-feira, Anna dirigiu-se ao saguão para fotografar seu primeiro look, usando um biquíni, mas cinco minutos depois de fazer uma pose, um segurança se aproximou. “Ele disse para eu me cobrir, que eu precisava colocar alguma roupa porque não era permitido usar trajes de banhos”, disse ela. “Tentei falar com ele, mas ele não deu ouvidos.”

Anna e seu fotógrafo voltaram para o quarto, mas uma hora depois, decidiram tentar novamente usando um maiô. “Estávamos fotografando em uma parte diferente do lobby, e outro guarda se aproximou de nós e disse para parar”, disse ela. “Mostrei a ele os e-mails da equipe de relações públicas, mas isso não fez diferença.”

Tendo viajado para Las Vegas por conta própria, especificamente para fotografar no hotel, Anna disse que a experiência foi decepcionante. “Não gostei da desconfiança de que estivesse mentindo sobre a permissão”, comentou ela. “O que eu fiz para indicar que não era digna de confiança e respeito?”

Mas Anna acredita que uma questão maior pode estar em jogo. Embora os guardas não tivessem indicado que seu tamanho fosse um problema, “outras mulheres andavam pelo local tão cobertas quanto eu, mas ninguém dizia nada a elas. Não quero pensar o pior das pessoas, mas em casos como esses, não posso deixar de pensar.”

Elise Solé