Dan Stulbach vai bem na estreia do “CQC”

Yahoo! Entretenimento
image

Dan Stulbach em ação na estreia do "CQC" 2015 (Foto: reprodução/Band)

Na noite de ontem Dan Stulbach assumiu a cadeira de Marcelo Tas à frente do “CQC”. E as "viúvas do Tas", claro, se prepararam para enxovalhar o novo apresentador. Stulbach, porém, não é nenhum amador e conseguiu dar conta do recado. Teve quem dissesse que ele parecia estar doidão. Mas quem naquela bancada – ou no programa – não parece estar doidão o tempo todo?

Stulbach foi apenas uma das novidades da nova temporada do CQC. O programa teve também a estreia de novos repórteres e quadros. O ruivo Erick Krominski se mostrou à vontade como repórter contestador no quadro “Serviço de Atenção ao Consumidor”. O grande momento, entretanto, foi o quadro “Proteste Já” com o repórter Juliano Dip, que mostrou como uma mineradora vem envenenando sistematicamente os moradores da cidade mineira de Paracatu. Só não foi melhor porque colocou humor (aquelas claques de risadas e vinhetas gráficas engraçadinhas) em um assunto que não tinha a mínima graça. Sim, a proposta do “CQC” é fazer jornalismo com humor, mas não é em todo lugar que cabe fazer piada.

Houve ainda o “Encontro CQC Para Famosos Solteiros”, no qual o repórter Maurício Meirelles promoveu um encontro para o apresentador João Kléber. Eles juraram que se tratava de uma situação real. De fato, parecia tão “real” quanto os testes de fidelidade promovidos por João Kléber em seu programa.

Ainda no campo da novidade, teve o quadro do personagem inconveniente que se mete no meio das entrevistas dos políticos no Congresso. Conseguiu arrancar algumas risadas, mas é difícil saber se terá fôlego. Mais promissor talvez seja o quadro “Simuladores”, que mostra as variedades de golpes aplicados nas grandes cidades.

Rafael Cortez ganhou um lugar na banca – e assim como Marco Luque fez o de sempre (a saber: piadas que às vezes funcionam, às vezes, não). Ele continua à frente do “CQTeste”, que, com regras mudadas, teve o Menino de Ouro Luiz Bacci como vítima. Não, não foi um grande momento do programa.

Leia também:
SBT reexibe “Carrossel” a partir do dia 16 de março
Autor de “Babilônia”, Ricardo Linhares defende suas vilãs

É sempre bom lembrar que estamos falando da estreia. O programa de ontem foi gravado e ainda haverá o teste de fogo da performance ao vivo. Releve-se também a questão do entrosamento da bancada, que deve se afinar com o tempo.