Os segredos que ela esconde de você

Uma mulher é capaz de entregar seu coração e até mesmo o seu corpo, mas as chances são de que ainda assim mantenha alguns segredos à parte. Quer que ela os confesse? Antes de começar a chafurdar, aprenda o que esses mistérios realmente dizem sobre seu relacionamento — e se honestidade é sempre a melhor política.

Leia também
Aula de sedução!?
A rainha do sexo
7 Sinais para saber se ela é boa de cama
Devoradora de homens

1) Seu passado sexual é um enigma
O número de parceiros que ela teve pode ser maior ou menor do que você ouviu. "Ela tem receio de que você irá julgá-la, e provavelmente vai", afirma a especialista em relacionamento e autora de “Flirt Fearlessly", Rachel DeAlto. “Ter poucos parceiros sexuais a faz parecer inexperiente e puritana, mas muitos podem taxá-la de vagabunda mesmo assim. Não existe um número certo. Deixar isso ser um segredo é um interesse de vocês dois, então deixe". E se ambos estão felizes com o relacionamento, o número de caras com quem ela se relacionou não deveria importar.

2) Ela está se afundando em dívidas
Nos dias de hoje, quem não tem dívidas? Agora, se ela esconde isso de você, é porque provavelmente se sente envergonhada e até culpada, revela a PhD e especialista em relacionamento Terri Orbuch. Questões de dinheiro são uma das principais causas de divórcio, então falar com o seu parceiro sobre isso é vital (se vocês estão juntos há muito tempo). Para tratar do assunto com ela esqueça a postura de juiz autoritário e adote a do “você pode se abrir comigo quando quiser”. Pergunte a ela se está aberta a falar sobre sua vida financeira e diga que quer agir em conjunto nas despesas para garantir um futuro financeiro o mais saudável possível a vocês, recomenda Terri.

3) Ela persegue o ex no Facebook
"Estar muito interessada na vida de um ex pode ser a sentença de morte para um relacionamento se as causas não forem tratadas", ressalta Rachel. Das duas uma: “ou ela não superou o ex, ou não está tendo o que precisa na relação que mantém com você para se sentir satisfeita”, salienta ela. Mas o erro do homem nesse momento é fazer disso um grande problema e mencionar a palavra “perseguição”. “Em vez de dramatizar o que já deve ser um drama para ela, pergunte o que a faz temer entre vocês e como seus relacionamentos passados a influenciaram”, propõe o PhD e terapeuta de casamento em Manhattan, Paul Hokemeyer.

4) Ela usa um vibrador
Qual o problema em revelar que tem um vibrador? "Ela se preocupa que vai ferir seus sentimentos e fazer você se sentir como se não a satisfizesse na cama", conta Rachel. Entretanto, no fundo no fundo, ela gosta mesmo é da variedade ou usa por puro prazer de poder se concentrar apenas em seu próprio orgasmo. Você não precisa saber tudo o que acontece entre ela e seu vibrador, mas pedir que se masturbe na sua frente com ele pode te ajudar a entender melhor o que a faz comprimir os dedos dos pés.

5) Ela nem sempre está perfeita
Se é que a gata tinha um desvio de septo, já fez cirurgia no queixo, colocou silicone ou nunca fez nada disso com certeza prefere ser vista em sua melhor versão, a mais bonita de si mesma. "Ela se preocupa em agradar você e ser desejada", garante Paul, que sugere deixá-la agir em segredo nesse caso, e não esquecer de demonstrar gratidão quando ela se arruma para você. Se quiser fazer a garota se sentir confortável e natural, diga que está bonita quando perceber que ela está sem maquiagem.

6) O melhor sexo da vida dela não foi (necessariamente) com você
Há quem queira competir com os outros caras que a gata transou e dar uma de Tarzan na cama. Mas sinceramente? Não há necessidade. Tudo bem, você também não quer parecer um frouxo que não pega nem gripe. Então, qual a melhor forma de superar essa? Em vez de perguntar se ela está satisfeita sexualmente (afinal, como ela poderia dizer que não?), sugira formas de esquentar as coisas entre vocês e se mostre aberto a saber como você pode dar mais prazer a ela na cama. De fato, casais que satisfazem um ao outro sexualmente têm 65% mais chances de serem felizes juntos que os que não o fazem, segundo um estudo publicado em 2011 no Journal of Sex & Marital Therapy.