Desvendando os introvertidos

Danilo Barba
Sexo Oposto


Quem se contenta em definir uma pessoa introvertida como apenas “tímida”, está enganado. Mesmo os extrovertidos podem ser tímidos e isso não define introversão. Compreender como um introvertido se sente é uma maneira eficaz de aprender a lidar com esse tipo de pessoa, ou até mesmo se identificar e descobrir que há um introvertido dentro de você.

O introvertido também gosta de sair e estar com os amigos, mas quando se vê rodeado de muitas pessoas ele se desgasta e perde sua energia facilmente. Ele não é do tipo que curte fazer networking e também não acha improdutivo ficar sem fazer nada por um período. Acredite, ele precisa desse tempo sozinho.

Para saber mais sobre esse tipo de personalidade, veja abaixo dicas de como eles se sentem e o que está por trás de um caráter tão reservado.

Leia Também
Regulamentação das prostitutas
Futebol? Não, obrigado.
Por que você precisa ler
A geração introspectiva

1. Solidão? Não, obrigado, só preciso ficar sozinho.
Só porque o introvertido prefere ficar sozinho, isso não significa que ele é uma pessoa solitária. Ele gosta de aproveitar as coisas no seu próprio tempo – e não ficar pensando em quão peculiar os outros devem achar seu comportamento.

2. Eles são mais detalhistas do que você imagina
Segundo pesquisa da revista suíça Frontiers, extrovertidos e introvertidos diferem muito na maneira com que seus cérebros processam experiências gratificantes. Enquanto extrovertidos preferem a gratificação imediata e se concentram mais no rosto das pessoas, introvertidos se sentem oprimidos ao receberem muitos estímulos e se atentam mais aos detalhes, o que reflete no aumento da atividade cerebral durante o processamento de informação visual.

3. Pra que falar se não há nada a dizer?
Sim, eles preferem ficar com a boca fechada a falar qualquer abobrinha só para quebrar o gelo. Para o introvertido, o silêncio é uma dádiva e não falar muito, também. E não, ele não é anti-social, não está triste, não é depressivo e nem vai se matar. Muitas vezes ele evita iniciar uma conversa porque acredita que não terá assunto a partir de determinado momento.

Quando se trata de conversa fiada, por exemplo, o indivíduo introvertido passa longe e não é por mal: seu desempenho é terrível e o diálogo pode soar mecânico e decorado. No entanto, se o assunto for de seu interesse, aí quem sabe ele consiga desencadear um bom papo.

4. Será que estou incomodando?
Por vezes os introvertidos acham que estão atrapalhando os outros. Talvez porque se sintam facilmente entediados numa conversa longa (e fútil) ou porque não se encaixam no estereótipo “amigo exigente”. Então, a tendência é achar que estão incomodando, quando na realidade não estão. Eles se esquecem que nem todos são introvertidos como eles. Essa preocupação pode fazê-los parecer extremamente tímidos, embora tudo o que eles querem evitar é atrapalhar ou bancar o chato.

5. Há um monólogo constante dentro de si
Introvertidos não são do tipo que expressam suas emoções vocalmente, porém, isso não quer dizer que não sejam expressivos e não tenham sentimentos. Na realidade, eles são bastante expressivos e sensíveis, porém em seus pensamentos.
De acordo com a Dr. Olsen Laney, autora do livro “A Vantagem do Introvertido” (The Introvert Advantage, em inglês), a maioria dos introvertidos sente necessidade de pensar primeiro e depois falar. Talvez por isso quando pegos desprevenidos, suas conversas podem soar estranhas e mecânicas. O ponto positivo desse comportamento é o fato de serem cautelosos com o que falam em vez de saírem dizendo qualquer coisa por aí.

6. Eles preferem escrever a falar
Geralmente pessoas mais introvertidas tem certa vocação pra escrita. Faz todo sentido, jpois se eles pensam mais do que falam o tempo todo fica difícil guardar tudo isso pra si. A escrita é a forma que encontram para soltar esses pensamentos todos que ficam presos em suas mentes. Além disso, os introvertidos se sentem mais criativos quando têm tempo pra ficar a sós com seus pensamentos.