Felipe Cunha larga Exército, muda-se para o Rio e ganha destaque na reta final de 'Vitória'

yahoo-entert-br-que-bafo

O ator Felipe Cunha. Foto Divulgação

Até a um ano e meio atrás, Felipe Cunha conciliava uma carreira militar de cabo do Exército com alguns trabalhos como ator - principalmente em publicidade - em Belo Horizonte (MG), distante quase 700 km da terra natal dele, a pequena Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. “Nunca sofri preconceito da instituição por dividir a carreira militar de seis anos com a arte de representar, embora fosse algo bem inusitado para eles”, explicou o ator, de 28 anos, ao blog. 

Depois de nove peças, três curtas e um longa, ele se mudou no fim de 2013 para o Rio, a Hollywood brasileira. Logo de cara, Felipe protagonizou a peça “Feliz por Nada” ao lado de Cristiana Oliveira. Mas foi no curso de interpretação para a TV ArtFiore, do ator e diretor Ismael Fiorentin, que o ator conheceu a produtora de elenco da Record Mônica Teixeira, que o convidou para viver o médico Erick - que cuidou do Mal de Alzheimer vivido pela personagem Zuzu (Lucinha Lins) - na novela “Vitória”. O que seria só uma participação virou um papel de destaque, ganhando ainda mais força agora na reta final da trama, a pedido da autora, Cristianne Fridman. “Fiquei muito feliz com os últimos capítulos. Recebi um e-email da Cristianne me parabenizando. Meu personagem vai ficar noivo da Luciene, interpretada pela Bruna Di Tullio. Vamos nos casar!”, antecipou o mais novo galã da TV.

Antes da novela, Felipe estrelou ainda um episódio da série “Milagres de Jesus”, que foi exibido no mês passado, e está viajando pelo Brasil com o espetáculo “As Sereias da Zona Sul”, uma comédia de Miguel Falabella com direção de Jacqueline Laurence e ao lado de Sidney Sampaio. E, ufa!, ele não para por aí: ainda este ano quer levar para os palcos a adaptação do livro “Quem, eu?”, de Fernando Aguzzoli. Vai longe!

Leia também: Marcos Pitombo não tem contrato renovado com a Record e personagem do ator é obrigado a morrer em ‘Vitória’

Siga-me no Twitter: @giovanilettiere