Você representaria seu amor com um cadeado?

Preliminares
Você representaria seu amor com um cadeado?

Todos precisamos aprender mais sobre o amor. E com isso, sobre responsabilidade afetiva. Somos responsáveis por aquilo que cativamos, não importa quão cafona essa frase possa soar, mas prender alguém não é ser responsável.

O amor é, além de um sentimento, uma convenção social. Como você sabe o que é amor? Como descobre que aquilo que está sentindo é o que chamam por esse nome? Com a ajuda de outras pessoas, é claro. E se alguém disse para você, quando criança, que amar era querer uma pessoa só para você, dedicando-se apenas a você, sem que ela olhasse para os lados… Bem, é nisso que você vai acreditar e se basear para falar do que sente e do que espera.

Demonstrar amor vale a pena!

As experiências em torno do amor podem nos fazer mudar, mas é doloroso demais e fica bem mais fácil culpar o outro. Aquela pessoa não me amava. Ou será que apenas não amava nos moldes que você tinha para o amor? Será que não eram apenas formas diferentes para uma mesma coisa?

O amor pode ter diversas faces, mas a responsabilidade afetiva, não. O termo talvez seja novo demais, mas o que ele significa sempre esteve presente no mundo e pode ser resumido em poucas palavras bastante diretas: não ser babaca com quem gosta de você.

Não importa se você gosta de volta, se vocês têm ou não um relacionamento amoroso, se você acredita em poliamor ou se nunca transaria com ninguém. Nada importa. Se você sabe que aquela pessoa gosta de você, por que não usa esse sentimento para o bem em vez de tirar vantagem disso?

O mesmo novo amor todos os dias

Olhar para o outro e respeitá-lo como pessoa é o primeiro passo para que você entenda o que é o amor em sua forma mais pura. Amor, acima de tudo, é aceitar o outro como ele é, sem tentar mudá-lo para que caiba na sua forma. Você pode, é claro, abrir mão de um amor que não lhe faz bem, mas essa é uma decisão sua. Mudar o outro nunca deveria estar em pauta.

Não se aproveitar das inseguranças e falhas alheias é outro ponto. Se você acredita no cadeado vai aproveitar esses momentos para prender mais a corrente que prende a pessoa a você. Mas se é responsável afetivamente vai apenas oferecer ajuda para fortalecer aquela pessoa.

Ciumento ou controlador, qual a diferença?

O amor que prende não ajuda a crescer. Aquele que é responsável dá o empurrãozinho que faltava para que a pessoa amada se desenvolva ainda mais. Amar não é fácil e inclui muitas expectativas, experiências e desafios, mas quanto mais você prende a si e ao outro, mais difícil fica. É complicado se relacionar com suas próprias questões sem espaço para respirar.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda para mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).