De onde vem a obsessão pela virgindade?

Carol Patrocínio
Preliminares

Esses dias vi uma notícia falando sobre o casamento de Angela Bismarchi. Legal, ela vai casar. Mas as coisas não pararam por aí. O texto falava não só sobre o casamento mas dizia que o vestido branco tinha um motivo de ser.

Aí lembrei de todo aquele papo de que Angela fez a reconstrução do hímen. Segundo ela, para dar "de presente" ao marido. Segundo a imprensa, ela ainda não estreou a novidade e isso só vai acontecer depois do casamento.

Leia também:
Evangélicos também gostam de sexo!
A posição certa para seu orgasmo
Senhas compartilhadas, uma boa ideia?

E esse é o momento em que a história entra num mundo encantado que não faz sentido nenhum. Por que raios um homem sente tesão em desvirginar uma mulher? E por que uma mulher quer ser virgem mais de uma vez?

Essas são só algumas das perguntas que pairam na cabeça, mas o mais assustador é que a perda da virgindade está ligada a dor, sofrimento e, ok, encontro do verdadeiro amor. Mas encontrar o verdadeiro amor não precisa ter essa conotação sexual, precisa?

Nossa sociedade está cada vez mais maluca, sem sentido e apega em coisas um tanto quanto estranhas. Na minha cabeça, ser virgem não faz a mulher mais apaixonada, não garante um relacionamento feliz ou um sexo delicioso.

A espera pelo sexo depois do casamento pode acontecer — e diversos casais não-virgens apostam numa pausa para apimentar as coisas -, mas pra que burlar as coisas?

Além disso, a busca por um hímen, uma aparência cada vez mais jovem, curvas como a de uma criança e o fetiche "menininha sexy" tornam nosso mundo cada vez mais estranho e assustador.

Há algum tempo ganhei um hímen artificial de um sex shop. Quando ele rompe, libera uma tinta vermelha. Confesso: ainda não tive coragem de usar.

Você reconstruiria seu hímen? Acha que é uma prova de amor?

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda para mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).