Grupo que combinava encoxadas pelo Facebook é retirado do ar, mas ainda há outros com o mesmo objetivo

Carol Patrocínio

Em alguns dias me pergunto até onde vai a maldade das pessoas. Para algumas parece difícil demais entender que o outro tem sentimentos, que se sente invadido com algumas coisas e que os espaços precisam ser respeitados.

Quando vejo coisas como um grupo público de Facebook chamado “encoxadores e encoxatrizes de plantão” em que pessoas contam como abusaram de outras pessoas no transporte público e combinam encoxadas, chego a achar que o mundo não tem mais jeito, que as lutas estão fadadas ao esquecimento. Eram mais de 200 membros contando como tinham encoxado pessoas. E eles ainda tinham/têm uma pequena comunidade num grupo de whats app.

Leia também:
O que é violência sexual?
De quem é a culpa da violência contra a mulher?
Violência contra a mulher é culturalmente aceita, comprova estudo

A boa notícia é que esse grupo acaba de ser retirado do ar. O Facebook, em um momento raro, entendeu que aquilo feria princípios básicos da dignidade humana. Agora espero apenas que a polícia federal entre em contato com essas pessoas e tudo isso vá a julgamento.

Abuso sexual é crime. Não importa se é passar a mão na bunda – se você prestar queixa, a pessoa pode ser obrigada a prestar serviços comunitários e é fichada na polícia – ou se é penetração sem consentimento. Ferir a integridade física de outra pessoa é crime. Simples assim.

Ainda há, no próprio Facebook, outros grupos desse tipo. Ainda há grupos que postam fotos não autorizadas de decotes e bundas em calças jeans justas. Ainda há grupos que incentivam o abuso. Ainda há pessoas que aprovam esse tipo de comportamento.

É claro que algumas pessoas vão dizer que tudo isso é culpa das mulheres que não se respeitam e usar roupas chamativas. Antes de tudo, vamos lembrar que homens não são cachorros e conseguem controlar seu instinto. Depois disso, é bom lembrar que nessas comunidades participam mulheres também, que acham que tudo bem invadir o corpo masculino - e não adianta dizer que homens iam adorar isso porque nem sempre as coisas são como na imaginação e essa invasão pode ser bem diferente do que você espera. E, por último, uma dessas páginas tem até mulheres de burca como alvos de encoxadas.

Espero que o cerco se feche, que todas nós tenhamos coragem de gritar por ajuda se passarmos por isso – e sempre grite a palavra estupro. Isso faz com que as pessoas se solidarizem com você e entendam rápido o que está acontecendo – e que as pessoas continuem denunciando esse tipo de conduta. Isso é crime e a gente não pode se calar.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda para mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).