Testei o jogo da Kim Kardashian: deixe isso longe das crianças!

Blog da Nina Lemos

Acabo de passar uma hora andando por Hollywood. Trabalhei em uma loja de roupas. Tirei muitas fotos. Muitas. Troquei de look varias vezes. Conheci um blogueiro. Fiz contato com uma subcelebridade má que fez fofoca sobre mim, mas A Kim me indicou um agente. Estou faz uma hora (isso não é exagero) esperando que ele, Simon, faça contato. Andam falando coisas ruins de mim, então, claro, preciso de um assessor de imprensa.

Não tomei nenhuma droga (ainda). Mas decidi experimentar o jogo “Kim Kardashian Hollywood”, o novo empreendimento hiper milionário da celebridade que é famosa justamente por mostrar sua vida de famosa e o que se faz pela fama. Tudo na vida de Kim e exposto num reality show. Tudo vira dinheiro. E agora esse jogo genial (no sentido capitalista do termo) faz com que ela fique mais rica ainda ao te levar para Hollywood e te fazer ser amiga de Kim e tomar aulas com ela de como ser famosa. O aplicativo para celulares foi lançado mês passado e a previsão dos analistas é que ele renda por ano 200 milhões de dólares para Kim. Entre o publico gay, o Kim Kardashian Hollywood é uym fenômeno que ameaça a supremacia do supera o Grindr, o famoso site de encontros em acessos. E isso é realmente preocupante.

Sim, porque muito melhor transar do que passear por Hollywood em um jogo cujo objetivo é… ser famosa, custe o que custar. Você deve conquistar fãs, ter contatos na internet e aparecer, ser fotografado por papparazi. É isso que vai te fazer virar uma celebridade A. Estou jogando desde ontem e ainda sou uma celebridade D. Sou uma perdedora no jogo da Kim.

“Eu já sou uma personaliade A. Tenho três casas. Agora mesmo estou em um job de modelo em Nova York”, diz a minha amiga apresentadora e escritora Jana Rosa. “Mas você gastou dinheiro?”, pergunto.

Sim, porque como em todos os joguinhos, no jogo da Kim todo o tempo você está sem energia, não pode entrar naquele lugar se não pagar etc. E é aí que a Jana entrega um truque. “É que eu troco muito de roupa.”. Sim, no jogo você ganha dinheiro e poder por trocar de roupa. Eu, por enquanto, estou realizada porque consegui pagar o aluguel do apartamento (o proprietário já estava bravo) e não tive dinheiro nem para adotar um gato (ter um gato agrega valor, mas isso custa dinheiro).

Não pretendo voltar a jogar Kim Kardashian Hollywood e vou continuar celebridade D.

O que aprendi com o jogo: que ele deve ficar longe de crianças. Sim. É um perigo. Minha afilhada de cinco anos, que antes queria ser professora de ioga, agora responde: “ quero ser famosa”.

Se esse jogo cai na mão dela, vai achar que a vida é mesmo fazer contatos, seduzir (ganha pontos), trocar de roupa e tirar fotos, muitas fotos. Tudo para ser popular. Inocentes os tempos em que a gente achava que ser popular era ser a Brenda de “Barrados no Baile”.