Papinha industrializada pode?

Oi, gente!

Se existe uma coisa prática são as papinhas industrializadas, falem a verdade? Atire a primeira pedra a mãe que nunca comprou um desses potinhos fáceis de transportar onde encontramos sopinhas salgadas ou doces que resolvem a vida. Eu mesma já levei em viagens e festinhas, onde seria impossível preparar algo. Mas será que elas são assim tão inocentes e saudáveis?

Leia também:
Como preparar as primeiras papinhas do bebê
Quando incorporar papinhas e frutas à alimentação do bebê
Cuidados com a alimentação das crianças em viagens

Resolvi pesquisar sobre o assunto ainda quando minhas filhas eram bebês. Descobri que as empresas fazem constantes pesquisas para o aprimoramento das receitas, que os ingredientes obedecem padrões de qualidade seríssimos e que a estelirização mantém sim tudo perfeito para o consumo mesmo sem a necessidade da geladeira.

Mas o que os nutricionistas acham disso? Conversei com alguns deles na época da minha pesquisa para chegar a conclusão de que bebê pode comer papinha, mas não todo dia (conheço crianças que não comem outra coisa!). Os produtos industrializados costumam ter uma quantidade razoável de sódio, não abrangem todos os grupos alimentares e as papinhas doces costumam ter amido, além de açúcar.

O ideal, segundo os especialistas, é fazer a sopinha em casa, fresquinha, ralar a maçã, amassar a banana na hora. Claro que nem sempre isso é possível (como no caso de uma viagem, por exemplo). Nesses casos, as papinhas prontas são sim melhores opcões do que comida feita em casa sem armazenamento correto, estragadas.

Claro que nada substitue uma refeição fresquinha, feita com carinho, por isso, sempre que possível, separe um tempinho do seu dia e vá pra cozinha! O sabor do prato vai ser outro e seu filho vai agradecer!

Beijos
Pati