Ler para as crianças é mais do que gostoso: é importante!

Mãe de Salto Alto

Oi, gente!

Sou uma leitora voraz, daquelas que chegam a ler dois livros por semana. Ok, desde que tive minhas duas filhas o número cresceu mas os autores e títulos mudaram bastante. Hoje sou craque nas histórias infantis, mestre nos contos de fadas antigos ou modernos. Tudo porque, desde que elas nasceram, eu mergulhei de cabeça nesse mundo. Leio pra vê-las hipontizadas por mim e pela história, leio para divertí-las, leio pra me divertir! Esses dias soube que, além disso tudo, quando leio pras minhas pequenas eu estimulo a aquisição da linguagem e de outras capacidades comunicativas delas. Essa foi a conclusão da Academia Americana de Pediatria (AAP). Eles recomendam que os pais leiam em voz alta para os filhos, pelo menos, do nascimento até os três anos (segundo os neurologistas, esse é o período em que uma parte importante do desenvolvimento do cérebro acontece).

Leia também:
Pais devem incentivar o interesse pelo estudo
Você passa o tempo que gostaria com seu filho?
Brincar é essencial para desenvolvimento físico e mental das crianças

Por essa informação e por ser gostoso demais já valeria a pena, certo? Pois bem, tem mais: além de estimular a linguagem, o raciocínio lógico e a associação de ideias, a contação de histórias tem um papel fundamental: ajuda os pequenos a lidarem com as emoções que muitas vezes ainda nem conseguem explicar!

Outra informação importante: é preciso educar para a leitura. Quem diz isso não sou eu, mas Christine Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo, uma ONG que vê a leitura como essencial na formação da cidadania. Christine destaca que, para se tornar uma leitora, a criança deve ter o exemplo em casa, afinal ela aprende observando e imitando os pais.

Bom, mas e como fazer para a leitura virar um hábito prazeroso? Eu ajudo! Comece escolhendo o melhor horário para vocês. Não adianta nada fazer isso quando não está a fim ou está cansada demais para fazer vozes diferentes e sons pertinentes a história (sim, eles são essenciais, não se sinta ridícula!). Veja se o momento é bom pro seu filho também. Se a criança estiver agitada demais não vai conseguir prestar atenção. Ah! E capriche na escolha do livro e da historinha. Quanto mais interessante eles forem, maior vai ser sua "audiência".

Beijos,
Pati