Criança com roupa de adulto?

Patrícia Maldonado

Oi, queridas e queridos!

Desde que comecei a escrever esse blog sempre me mostrei contra a adultização de crianças, seja com relação a maquiagem, a dança, a roupa. Acho que criança é criança e adulto é adulto. Não acho legal uma menininha pintar as unhas, passar batom, usar salto alto. Não acho legal uma menininha rebolar até o chão. Não acho legal usar roupas insinuantes, parecidas com as da mãe.

Enfim, essa semana li em algum lugar uma notícia sobre esse assunto que me chamou a atenção. A atriz Liz Hurley , ex do ator Hugh Grant, lançou uma linha de biquínis infantis. Até aí, tudo bem. O problema é que uma ONG britânica não gostou nada da ideia e foi até a imprensa criticar as peças. Para a ONG, os biquínis são pequenos e insinuantes, expõem as meninas, as transformam em objetos sexuais. A ONG ainda acredita que as estampas print (oncinha, por exemplo) são sensuais demais e, portanto, não combinam com peças destinadas ao público infantil.

Confesso que, olhando as peças, não achei nada muito absurdo e nem diferente vemos à venda em lojas de crianças aqui do Brasil. Mas estamos falando de uma marca inglesa, e a Inglaterra é um país onde as pessoas não se expõem tanto quanto aqui. São mais recatadas, mais preocupadas com o que vão mostrar.

De minha parte, mesmo morando num país tropical, quando vou a uma loja de moda praia comprar biquíni para as minhas filhas escolho sempre os bem infantis, confortáveis, com cara de biquíni de criança, e não de adulto. Elas vão ter muito tempo pra usar fio dental, se quiserem, e para abusar da estampa de oncinha, se ainda for moda. Eu faço de tudo para que, enquanto depender de mim, elas sejam crianças e apenas isso. Concordo com a ONG inglesa: peças muito pequenas e sensuais deveriam ser proibidas para menores de 14 anos!

Beijos

Pati